Rui Pedro Silva assinou, na quinta-feira, dia 13 de setembro, um contrato com o Sport Lisboa Benfica. Atleta trofense pretende corresponder à aposta do clube.

“Vou treinar muito para corresponder à aposta que o Benfica fez em mim”. Foi desta forma que o atleta trofense Rui Pedro Silva anunciou que tinha assinado um contrato com as águias, reforçando assim o meio-fundo da equipa encarnada a partir da próxima época.

Os contactos por parte da equipa lisboeta começaram a surgir “em meados de julho”, mas “nada em definitivo”. O atleta ainda estava a arranjar “alguns patrocínios para continuar de forma individual”, mas, como não conseguiu “a verba necessária para continuar como profissional”, decidiu aceitar a proposta do Benfica. O contrato, assinado na quinta-feira, é de dois anos mais dois de opção. “É um novo projeto num novo clube. Acima de tudo sou profissional e enquanto correr com a camisola do Benfica vou dar tudo pelo clube. Vou dar o meu melhor e conseguir os melhores resultados”, afirmou Rui Pedro Silva, frisando que vai continuar a ser orientado pelo treinador João Campos, que também foi contratado pelo clube.

Relativamente aos principais objetivos do clube para a próxima época, o atleta referiu que passam por ganhar o Campeonato Nacional Corta-Mato Curto, o Campeonato Nacional de Clubes de Pista e ir ao pódio na Taça dos Clubes Campeões Europeus de Pista. Além de “tentar fazer o melhor” pela equipa, Rui Pedro Silva pretende conciliar os objetivos do clube com os pessoais, que passam por participar no Campeonato Europeu de Cross, em dezembro, e no Campeonato da Maratona, em agosto. A estreia do atleta trofense com a camisola vermelha e branca será no dia 7 de outubro, na Meia Maratona de Ovar. 

Melhor português na meia maratona Sport Zone

O atleta trofense, Rui Pedro Silva, participou na 6ª edição da Meia Maratona SportZone, que decorreu no domingo, dia 16 de setembro. Uma prova que juntou, na zona ribeirinha entre Porto e Vila Nova de Gaia, atletas de alta competição de primeira linha mundial e nacional. 

Rui Pedro Silva foi o melhor atleta nacional, ao ter terminado a prova no 12º lugar, atrás de 11 “fundistas africanos”, com o tempo de uma hora, cinco minutos e 21 segundos. Em declarações no final da prova, o atleta afirmou que esta “correu melhor do que esperava”, pois ainda tem “muito pouco tempo de séries”. O fundista tentou aguentar “o máximo possível no grupo da frente”, mesmo sabendo que ia ressentir na parte final da prova. “Nos últimos dois/três quilómetros tive que sofrer muito, mas era o principal objetivo ser o primeiro português”, referiu.

{fcomment}