O Rotary Club da Trofa entregou à Liga Portuguesa Contra o Cancro os donativos angariados junto da população e empresas.

 13.700 euros. Este foi o valor angariado pelo Rotary Cluyb da Trofa no peditório anual para a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC). A verba foi divulgada na noite de segunda-feira, num jantar rotário no Restaurante Julinha, onde também marcou presença Vítor Veloso, presidente da LPCC.

O responsável não escondeu a satisfação pelos resultados apresentados: “Tenho muito a agradecer ao Rotary Club da Trofa, porque tem pessoas extremamente empenhadas que este ano deram o exemplo, porque aumentaram o valor do peditório”.

O valor angariado, apesar de significativo, representa uma pequena parte do que a LPCC necessita anualmente para apoiar os doentes oncológicos e as suas famílias. “Há dez anos, precisávamos de cem mil euros e neste momento esse valor já vai em 300 mil”, afirmou Vítor Veloso, explicando que “a verba tem subido substancialmente”, em proporção “com as necessidades”, que “são cada vez maiores”.

A “prioridade” da LPCC é o doente, no entanto, tem sido possível desenvolver outras atividades que, segundo Vítor Veloso, “o Estado não tem, porque nunca teve vocação para isso”, que estão ligadas “à prevenção primária, secundária e terciária”. “Relembro que no Norte, há 15 anos, fomos pioneiros da melhor, e ainda, maior unidade de cuidados continuados do País”, sublinhou.

Para fazer face ao orçamento necessário para acorrer a todas as necessidades, a LPCC tem que dar largas à imaginação para angariar fundos: “Desde caminhadas, a corridas, leilões e concertos. Enfim, um sem número de atividades só para que o Núcleo Regional do Norte da LPCC esteja equilibrado do ponto de vista económico-financeiro”.

Vítor Veloso revelou ainda que a LPCC vai “aproveitar” o “convénio” que tem com o Ministério da Saúde para o rastreio do cancro da mama. “Comprometemo-nos a atingir as nossas metas, que dentro de dois anos, no máximo, teremos toda a população do Norte coberta com o rastreio”.

 

Rotary e Interact com novos membros

A entrega do donativo à LPCC foi um dos momentos altos do jantar, que também ficou marcado pela entrada de novos membros, quer no Rotary, quer no Interact. “É disto que vive o movimento rotário, através do reforço do quadro social, principalmente com gente nova, que permite o seu rejuvenescimento. É com esta dinâmica que queremos continuar a trabalhar pela comunidade”, frisou António Pontes, presidente do Rotary Club da Trofa.

Para o responsável, o aumento do efetivo rotário “é um motivo de grande satisfação”, porque permite manter os projetos existentes. Um deles faz o “combate à pobreza”, através de uma colaboração com a Conferência S. Vicente de Paulo, com “atividades de recolha de fundos”.

O outro é a Universidade Sénior, que “promove o envelhecimento ativo” e o “enriquecimento pessoal e social”.

O Rotary Club da Trofa está ainda a preparar uma homenagem pública à profissão de professor, com “a colaboração da Câmara Municipal”. “É um ato que ficará para as gerações futuras, para poderem reconhecerem o trabalho que muitos professores fizeram pela Trofa”, concluiu.

O Rotary Club da Trofa tem 25 membros, o Rotaract tem oito e o Interact tem dez.