Foram cerca de 80 as pessoas que estiveram no Parque Nossa Senhora das Dores, este sábado que efectuaram o rastreio ao cancro do estômago promovido pelo Rotary Clube da Trofa.

 Com apenas um inquérito e a recolha de uma amostra de sangue, pode ficar a saber se tem cancro do estômago. A iniciativa de sensibilização dos trofenses para este flagelo do cancro que afecta muitos pessoas, partiu do Rotary Clube da Trofa.

“Esta é uma experiência que tem vindo a ser desenvolvida há três ou quatro anos, desde o princípio que o Rotary da Trofa aderiu a este movimento que abrange mais meia dúzia de clubes daqui da nossa região com uma parceria com o Hospital de Santo Tirso e da Póvoa de Varzim e é uma actividade que se integra no nosso lema de servir a comunidade”, adiantou António Pinheiro, presidente do clube.

Este sábado foram cerca de 80 pessoas que apareceram no Parque Nossa Senhora das Dores e efectuaram este rastreio.

Agora, segundo António Pinheiro, “as análises serão encaminhadas para o Hospital da Póvoa de Varzim e logo que os resultados sejam observados serão contactadas as pessoas que fizeram o rastreio, recebendo uma carta em casa para saber o resultado das análises”.

Caso nas análises seja detectada alguma anomalia, a pessoa é encaminhada para consultas da especialidade e aconselhada a fazer um exame mais rigoroso ao estômago, uma endoscopia. O processo é simples e de acordo com o responsável do Rotary da Trofa, “as pessoas já não têm medo” de realizar estes rastreios.

Para além deste rastreio, o Rotary participa ainda no peditório da Liga Portuguesa Contra o Cancro. “Temos ainda conferências que fazemos dentro do nosso clube e iremos também promover um passeio convívio com todos os sócios, familiares e amigos que queiram comparecer, provavelmente no mês de Maio”, acrescentou António Pinheiro.