Cerca de “20 crianças e jovens” que integram o projeto Resistentes, do Serviço de Pediatria do Instituto Português de Oncologia do Porto, passaram o dia de sábado, 25 de junho, na Trofa.

Uma tarde repleta de atividades, onde não faltaram a música, dança, corridas de carros a pedais e jogos desportivos. No sábado, cerca de 20 crianças e jovens e as suas famílias passaram um serão diferente no concelho da Trofa, que incluiu uma visita ao Museu do Carro Antigo e piquenique no Parque Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, onde decorreram as atividades.
Entre os jovens presentes estavam dois trofenses: Eduardo e Constança.  O pequeno Eduardo Moreira recebeu um transplante de medula óssea devido a uma Leucemia que teve e, por isso, Dudu, como é carinhosamente tratado, ficou com muitas doenças. E mesmo acompanhado da sua botija de oxigénio, carinhosamente transportada pelo seu irmão Rafael Moreira, Eduardo não perdeu a sua alegria e, para quem o desafiou, teve sempre resposta na ponta da língua. Residente em S. Romão do Coronado, Eduardo tem oito anos e afirma “ser esperto” porque passou para o 3.º ano, enquanto o seu irmão é “um nabo porque reprovou”. O menino faz parte da equipa de futebol dos Resistentes, mas assegurou que prefere ver as raparigas a dançar “para ver as pernas”. E se “tiver uma oportunidade”, Eduardo usa o seu charme através do olhar para as conquistar, apesar de já ter “duas namoradas”. Outro dos seus hobbies é jogar Playstation e de “jogos que não são para a sua idade”, como o “GTA 5”.
À medida que caminhava pelo Parque, Eduardo era cumprimentado pelas crianças e seus familiares. Este é um dos objetivos do projeto Resistentes, que pretende “promover momentos de convívio entre os utentes e as suas famílias”. Direcionado a utentes ou ex-utentes do Serviço de Pediatria do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto, o projeto tem como objetivos “proporcionar a prática desportiva em oncologia pediátrica, fortalecer a autoestima das crianças e jovens e fortalecer contactos com outros grupos desportivos”. Os Resistentes são uma equipa de futebol, onde podem participar todos os utentes ou ex-utentes desde que tenham autorização médica. Contudo, o coordenador do projeto, Alberto Nogueira, tem “desafiado os pais” à realização de iniciativas nas suas localidades de residência, para “proporcionar atividades”, mas também como forma de angariação de fundos, para a “aquisição de equipamentos, criação de bolsas de estudo, apoio social às crianças e adolescentes mais carenciados e apoio à investigação do cancro pediátrico”. “E os pais da Constança abraçaram de alma e coração a realização deste evento”, mencionou, acrescentando que os jovens estiveram presentes com “acompanhamento médico e de enfermagem”, e com a devida “autorização médica”.
Para Alberto Nogueira é de “uma importância vital” a realização destas atividades, que “é um dia inesquecível” para os jovens, estando “agradecido a todos os que queiram ajudar”. Como exemplo temos o Goldwing – Clube de Portugal, que fez escolta motard às crianças, e que, segundo Marco Ribeiro, “tenta ajudar quem precisa”. Por isso, organizou “um evento no IPO há dois anos, na ala pediátrica”.