quant
Fique ligado
escola-giesta2 escola-giesta2

Edição 479

Rede escolar da Trofa sofre alterações

Publicado

em

escola-giesta2
Na terça-feira, 24 de junho, foi divulgada a lista das 311 escolas do 1.º ciclo que fecham este ano letivo, avançando que uma delas seria a EB1 Giesta 2, em Alvarelhos. Câmara da Trofa e FAPTROFA explicam que apenas vão fechar dois edifícios de jardins de infância.

Contactado o vereador do pelouro da Educação da Câmara Municipal da Trofa, António Azevedo, este afirmou que “no ano letivo 2014/2015 nenhuma escola irá encerrar na Trofa”, explicando que apenas irá ser feita “uma pequena alteração na Rede Escolar”. Ou seja, em Alvarelhos, “os alunos da Giesta 2 vão para a Giesta 1”, acabando com as turmas de anos escolares mistos e passando a ter “quatro turmas, uma para cada ano escolar”.

Uma vez que “o Jardim de Infância (JI) de Cidoi não tem condições nenhumas”, os alunos serão transferidos para a escola de Giesta 2. Assim, a Escola de Giesta 1 seria dedicada ao 1.º ciclo e a de Giesta 2 ao Jardim de Infância. Para que isso, António Azevedo contou que o executivo “já está a ultimar a aquisição do terreno (contiguo à escola) para fazer o alargamento da via, de modo que o autocarro possa ir diretamente à escola”.

Já em S. Mamede do Coronado, o Jardim de Infância de Feira Nova, que se “encontra em péssimas condições”, será encerrado e os alunos transferidos para a Escola Básica de Feira Nova, que tinha “salas a mais que estavam desocupadas”. “Passará a chamar-se EB1 JI de Feira Nova, com duas salas de Jardim de Infância. Estão já a requalificar a escola, faltando as vedações e as infiltrações, que irão estar concluídas obrigatoriamente até 31 de julho, contando com o apoio de uma empresa local numa parceria em que lhes dão muita mão de obra e contribuímos com os bens e materiais”, denotou.

O presidente da FAPTROFA (Federação das Associações de Pais da Trofa), José Maria Oliveira, reagiu “bem” às alterações, uma vez que estas foram “concertadas entre a FAPTROFA e a Câmara Municipal, sendo da opinião que “nesta altura é a melhor solução para que as condições dos alunos possam ser bastantes melhores”. “No caso de Feira Nova, o JI fica bem melhor alojado na EB1 e também não temos dúvidas absolutamente nenhuma que no caso da Giesta 2 os alunos ficam melhores instalados na Giesta 1, porque ambas as escolas estavam a funcionar com turmas mistas o que não fazia sentido absolutamente nenhum”, justificou.

Pais da Giesta 2 revoltados

“Não mudamos sem obras. Esta escola não tem amianto”. Alguns pais dos alunos da Escola Básica de Giesta 2 estão revoltados com as alterações anunciadas e demonstraram isso através da colocação de duas faixas na escola.

Para estes encarregados de educação, não faz sentido que os seus filhos sejam transferidos para a EB1 Giesta 1, que tem amianto, quando frequentam uma escola sem amianto, exigindo que seja retirado o amianto da instalações para que os alunos possam frequentar a escola.

Publicidade

 

Alterações no ano letivo 2015/16

José Maria Oliveira referiu que o executivo está a “analisar” a situação da rede escolar, prevendo que no ano letivo 2015/16 “haja novamente alguma alteração na reorganização escolar, nomeadamente no Agrupamento de Escolas da Trofa”.

Já o vereador do pelouro da Educação, denotou que tem havido “uma diminuição imensa de alunos”, sendo que “os diretores dos agrupamentos estão assustados” com este fator. Dependendo do número de alunos matriculados neste ano letivo, o executivo pondera fazer uma nova reorganização escolar, em que os alunos do 1.º ciclo de Esprela e Paranho vão ser transferidos para a EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, passando este a ser um centro educativo para o 1.º e 2º ciclo, uma vez que o 3.º ciclo será transferido para a Escola Secundária da Trofa, desde de que esta “tenha hipótese de receber os alunos do 3.º ciclo”. Tanto na Esprela como no Paranho, os jardins de infância vão-se manter no mesmo edifício.

Esta poderá ser, segundo António Azevedo, “uma proposta para a Carta Educativa”, que o executivo tem de entregar “até dezembro deste ano”, onde será estabelecidos “os investimentos na Rede Escolar a fazer nos próximos dez anos”. “Requalificar as escolas da Esprela e do Paranho, que necessitam de obras, ficaria-a-nos muito caro. Assim, ficaríamos com o centro escolar na Professor Napoleão Sousa Marques e a transição do 1.º ciclo para o 2.º seria muito melhor. Claro que com algumas alterações, a que já nos candidatamos, para que no ano letivo 2015/16 isso possa ser efetivado”, explicou.

O vereador adiantou ainda que, uma vez que “os autocarros escolares estão em fim de vida”, para manter “o apoio no transporte” há a “a necessidade de comprar quatro autocarros”, estando ainda “a equacionar que política de transportes querem para o próximo ano”. Caso a Câmara Municipal “não tenha disponibilidade” para fazer o transporte das crianças, António Azevedo avançou que uma das soluções é “concessionar”.

Publicidade
Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 479

Cruz Vermelha lança livro dedicado à igualdade e liberdade

Publicado

em

Por

“O Pássaro das cores” é o nome do livro que a delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) vai lançar pelas 21.30 horas do dia 3 de julho. A sessão decorre no auditório da Associação Empresarial do Baixo Ave, situado no Edifício Nova Trofa, em Santiago de Bougado.

O conto aborda “as temáticas da igualdade e da liberdade, e de forma simples apela para a reflexão do leitor, com exemplos que levem à mudança na forma de agir para alcançar uma sociedade mais justa e igualitária”.

A venda deste livro, escrito por Bruno Marques e ilustrado por Filipa Viana, permitirá à delegação da Trofa da CVP “dar continuidade a todo o trabalho que realiza desde há 13 anos em prol do bem-estar do próximo”. A aquisição dos exemplares pode ser feita a partir do dia 3 de julho na sede da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa, que terá um custo de “dez euros”.

A sessão vai contar com a atuação da Escola Passos de Dança.

Continuar a ler...

Edição 479

“As prioridades têm de ser sempre dar qualidade de vida aos seus cidadãos”

Publicado

em

Por

 

Na comemoração do 28.º aniversário da Vila de Ribeirão, a Junta de Freguesia vai dinamizar diversas iniciativas. Em entrevista ao NT, o presidente Adelino Oliveira abordou os projetos que tem para a freguesia.

O Notícias da Trofa (NT): Está na presidência da Junta há vários mandatos. Como tem decorrido?

Adelino Oliveira (AO): A minha dedicação à Junta de Freguesia já vem de há vários anos, mas parece que foi há pouco tempo. Como todos sabem, eu colaborei com o anterior presidente durante o seu percurso na Junta de Freguesia.

Respondendo à sua pergunta, digo-lhe que estou à frente dos destinos da autarquia desde maio de 2009. Apesar destes anos passados, nem dei por isso. O trabalho diário, a dedicação e a determinação com que todos os dias me empenho na ajuda aos ribeirenses fazem com que passe os dias e os anos sem dar por isso.

 

NT: Neste momento, que intervenções de relevo estão a decorrer na freguesia?

AO: A Junta de Freguesia tem todos os dias uma interação com os ribeirenses, na ajuda a várias dificuldades com que diariamente todos nos deparamos.

Publicidade

Ao nível das obras posso informar que estamos a intervir em alargamentos e construção de muros, intervenções que são o primeiro passo para que, de seguida, seja melhorada a circulação em algumas vias.

Quero aqui realçar a construção em Ribeirão da rua Continental Mabor que liga a rua do Senhor dos Perdões próxima da N.14 à rua Monte Oito que dá acesso a Lousado.

Esta via, obra da responsabilidade da Câmara, vai servir em especial a Continental Mabor e os seus funcionários, pois será o elo de ligação entre as diversas secções da empresa e também uma das vias principais para que possa haver uma maior rapidez no escoamento da produção dos pneus.

 

NT: Quais são, no seu entender, as principais prioridades para a freguesia?

AO: Para um Presidente de Junta as prioridades têm de ser sempre dar qualidade de vida aos seus cidadãos. Isto tem de ser feito de várias formas, desde logo possibilitar a todos acesso aos serviços, como água, saneamento e vias. A este nível ainda temos várias lacunas, mas estamos empenhados em, o mais depressa possível, resolver estas situações.

 

Publicidade

NT: Ribeirão tem conseguido atrair população e investimento?

AO: Ribeirão tem atraído população e investimento há já vários anos, pela sua localização e pelos espaços de construção que oferece, quer ao nível habitacional quer ao nível industrial e comercial. A situação do País nos últimos anos levou naturalmente a algum abrandamento. E a incerteza quanto à criação de uma alternativa à EN 14 tem desagradado a alguns industriais que mais dificuldades vão sentindo no desenvolvimento das suas atividades.

 

NT: Qual o apoio que a autarquia recebe da Câmara Municipal? E qual espera receber?

AO: Sabemos os desafios que temos pela frente, conhecemos a conjuntura desfavorável, sentimos os cortes no nosso orçamento. Por sua vez as responsabilidades aumentam com as transferências de competências, a lei dos compromissos restringe bastante a nossa ação, mas não abdicamos daquilo a que nos propusemos e seremos sempre persistentes para bem de Ribeirão. Estamos no primeiro ano deste mandato. Temos objetivos e temos confiança no Sr. Presidente da Câmara, Dr. Paulo Cunha, e em todo o seu executivo. O Sr. Presidente sabe as nossas necessidades. Assumiu um compromisso com os ribeirenses e temos a convicção que não nos vai defraudar.

Ribeirão é uma vila em constante dinâmica, temos muitos atrasos estruturais, mas estou perfeitamente convicto que este é um tempo em que vamos fazer das dificuldades forças e levar Ribeirão ao patamar que merece.

 

Publicidade

NT: Ribeirão é uma freguesia com empresas de renome. Como encara essa riqueza empresarial?

AO: As grandes empresas de renome sediadas em Ribeirão dão certamente grande visibilidade a esta nossa vila mas o mais importante é que não só essas como muitas pequenas e médias empresas cá instaladas proporcionam emprego para muita gente e contribuem para as receitas do nosso concelho que ajudam naturalmente o município a investir nesta e noutras freguesias de forma a melhorar significativamente a qualidade de vida não só de Ribeirão mas também de todo o concelho.

 

NT: De que forma a Junta de Ribeirão tem ajudado a população nos tempos de crise?

AO: Em tempos de crise a Junta de Freguesia tem uma preocupação diária.

São diversas as situações de necessidade que nos são colocadas. Sempre as tentamos ajudar na perspetiva de aliviar um pouco as suas preocupações, encaminhando-as para quem possa dar a ajuda necessária, através das instituições da Freguesia ou do Município. Gostaríamos de resolver todas as carências sociais que conhecemos mas tal não é possível e isso deixa-nos tristes. Porem é nossa preocupação fazer sempre o máximo para melhorar as condições de vida dos cidadãos.

 

Publicidade

NT: Quais os projetos que gostaria de ver na sua freguesia a curto, médio e longo prazo?

AO: Nós apresentámo-nos aos ribeirenses com projetos ao nível das acessibilidades bem definidos para a concretização de melhoria de vias que criem as condições atrativas para viver e investir em Ribeirão. Entre estas está a requalificação da Av. Rio Veirão e zona ribeirinha envolvente, a rua do Xisto, desde o túnel ao parque desportivo de Beleco, a rua Dr. José Leite dos Santos e rua Camilo Castelo Branco, muitas outras municipais a precisar de intervenção poderia aqui mencionar.

Precisamos a curto prazo de dotar o cemitério de mais capacidade, pois começamos a ficar com pouco espaço.

Tenho também de mencionar um sonho de alguns anos, que é a construção de um auditório para a realização de eventos de carácter cultural que as nossas associações e instituições reclamam há muito e que aguarda por melhores dias.

Ligado a este projecto poderá estar em equação a reformulação da atual Sede de Junta. Nós queremos uma Sede de Junta todos os dias ao serviço dos cidadãos, que preste aos munícipes todo o apoio possível. É desta forma que entendemos que deve ser a relação da autarquia com os cidadãos. É a pensar nesta aproximação dos serviços aos cidadãos que temos necessidade de uma Sede de Junta requalificada..

Projetos temos muitos, vontade de os concretizar não falta. Seremos persistentes na reivindicação dos mesmos. Para tudo isto precisamos de estar todos a remar no mesmo sentido, Junta de Freguesia, ribeirenses com capacidade de reivindicação e todos os que usam os órgãos de comunicação existentes ou, como muitos ribeirenses, que no dia a dia procuram o Presidente da Junta para dar o seu contributo. Como disse precisamos de todos para lutar pelo progresso de Ribeirão.

 

Publicidade

NT: Que mensagem gostava de deixar às pessoas de Ribeirão?

AO: Os ribeirenses já me conhecem. Quero dizer a todos que estou sempre disponível para vos ajudar. Todos os dias na Junta ou em qualquer lugar no que estiver ao meu alcance podem contar comigo. Os vossos problemas são as minhas preocupações e todos juntos será mais fácil ultrapassá-los.

Estamos a comemorar o 28º aniversário da vila de Ribeirão. Aproveito esta oportunidade para convidar os ribeirenses e outros das freguesias vizinhas que se possam associar e participar nas nossas comemorações. Temos um programa variado e repleto de muita qualidade e animação.

Muito do que de bom se faz em Ribeirão, vamos poder desfrutar, por isso apelo a toda a população que compareça e sinta orgulho nesta linda terra que é de todos nós.

 

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);