Select Page

Recriados os últimos passos de Jesus Cristo

Recriados os últimos passos de Jesus Cristo

O Monte de S. Gens recuou no tempo para se reviver os últimos momentos da vida de Jesus Cristo.

A encenação começou com a última ceia de Jesus Cristo com os apóstolos e levou os cristãos presentes a percorrer os seus últimos passos até ao momento em que foi sepultado. A via-sacra ao vivo foi promovida pelo Grupo de Jovens de Santiago de Bougado, no domingo, 9 de abril.
Tânia Quintas, elemento do Grupo de Jovens, afirmou que as personagens sentiram “uma força inexplicável” durante a via-sacra, que, na sua opinião, “correu muito bem”. “Eu faço de Maria e quando estou com Cristo sinto uma sensação inexplicável. Acho que desta vez, se calhar mais do que na outra, conseguimos transmitir isso ao público e, com o texto final, provar que a Páscoa não é só esta semana ou estes dias, mas uma caminhada que fazemos em toda a nossa vida e que Jesus sempre nos acompanha”, referiu.
Este ano verificou-se uma maior adesão do público presente, o que Tânia Quintas justifica com “uma maior divulgação” pelas redes sociais e também com “parcerias com os outros grupos de jovens de Alvarelhos e S. Martinho de Bougado”.
Já pelo terceiro ano consecutivo, Tiago Ferreira interpretou o papel de Jesus Cristo. Mas, assegurou, em “todas as vezes foram diferentes, porque ao longo dos anos têm melhorado, tem tido mais personagens e mais envolvência”. “Depois de passar três a quatro estações, começa a ser fácil, porque não é uma representação. Os sentimentos começam a sair e a sentir-se à flor da pele. Toda a envolvência e o cansaço ajuda, o resto é deixar sentir e levar até ao fim”, advogou. Para Tiago Ferreira, “o momento mais marcante” é quando lhe vestem as vestes, por ser “o momento que param e onde já está a preparar psicologicamente a próxima cena”. “Estou a pensar em tudo ao mesmo tempo e já não estou a pensar em nada. Ou seja, é deixar-me levar, tentar fazer o melhor e deixar sentir”, assegurou.
Com esta via-sacra ao vivo, Tiago não tem dúvidas que a sua “fé, a dos seus colegas e das pessoas que assistem sai restabelecida e reafirmada, porque é um momento diferente, onde todas as pessoas estão envolvidas” e são “‘obrigadas’ a sentir e a ver o caminho de Jesus”.
Bruno Ferreira, pároco de Santiago de Bougado, declarou ainda que “procuram, com o esforço dos jovens, levar as pessoas a rezarem com eles, através de toda a atividade cénica que fazem nesta via-sacra”. O pároco crê que a sua realização na “Semana Santa faz todo o sentido e ajuda as pessoas a entrar ainda mais neste mistério que vão celebrar”. “Cada ano é sempre uma experiência diferente, porque (os jovens) também vão crescendo em sabedoria e graça. Creio que mexe com eles e ninguém imagina o trabalho que está por trás”, mencionou, mostrando estar “muito grato pelo testemunho deles” e, por isso, apela para que “nunca desanimem e que as várias ocupações da vida nunca os façam dispersar deste momento de também pôr em prática a sua fé”.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização