Alunos da Escola Básica 2/3 de S. Romão puderam tirar dúvidas sobre a sexualidade, consumos, nutrição e exercício físico, ao longo da manhã do dia 16 de outubro.

“Tens dúvidas? Atreve-te! Entra e fala connosco.” Estava lançado o desafio aos jovens da Escola Básica 2/3 de S. Romão, para entrarem na unidade móvel, estacionada no pátio da escola, e participarem numa sessão de aconselhamento sobre sexualidade, consumos, nutrição e exercício físico.

Esta é uma das cinco medidas do programa “Cuida-te”, que é desenvolvido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. (IPDJ) com “diversas “entidades parceiras”, com o “principal objetivo de trabalhar na área da saúde juvenil e na promoção de estilos de vida saudáveis”. “As unidades móveis, devidamente apetrechadas e com uma equipa técnica especializada na área da saúde juvenil, deslocam-se para realizar o atendimento e aconselhamento aos jovens, bem como realizar ações de sensibilização”, pode ler-se na página do programa.

Ao longo da manhã do dia 16 de outubro, “22 alunos, sinalizados pela escola,” entraram na unidade móvel para conversarem, durante “15 minutos”, com Rita Moreira, psicóloga e colaboradora da Associação para o Planeamento da Família (APF) da delegação norte, sobre a sexualidade. Segundo Rita Moreira, no início das sessões, que “normalmente são divertidas” e decorrem com “algum embaraço”, os jovens “podem se fazer um bocadinho de difíceis” devido ao tema, mas depois “costumam ser de alguma facilidade de comunicação e muitas vezes até surgem algumas questões fundamentais que acho que podem fazer a diferença”, sendo “obrigatório parar para pensar nelas”.

Ana Costa, Ana Ferreira e Ana Monteiro, do curso de Educação e Formação de Jovens (CEF), foram três das alunas que passaram pela unidade móvel e estiveram à conversa com Rita Moreira. Para a primeira, estes projetos são “importantes” por ser uma forma de “as pessoas que têm dúvidas” puderem falar com “a psicóloga”. Também Ana Ferreira achou o projeto “muito interessante”, pois como “normalmente já há jovens com 15 anos que já namoram e devem ter dúvidas”, devem aproveitar este espaço para “esclarece-las, para que tenham relacionamentos seguros e uma saúde boa”. Opinião partilhada por Ana Monteiro, que acrescentou que caso “uma pessoa que namora tenha dificuldades em colocar o preservativo, aqui aprende a pô-lo”.

A presença da unidade móvel na escola de S. Romão é da responsabilidade da delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), que apresentou “candidatura” ao programa “Cuida-te”, que proponha que, durante “quatro dias”, esta passa-se pelas “Escola Secundária da Trofa, EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, de S. Romão e de Alvarelhos”, permitindo que fossem “contempladas com estas sessões de esclarecimento”. A candidatura foi “vencedora”, mas “não foi possível por parte do IPDJ cumprir” com o que tinha sido proposto.

Na hora de escolher uma escola para acolher a unidade móvel, a CVP trofense optou pelo Agrupamento de Escolas do Coronado e Covelas. Carla Lima, técnica da instituição, referiu que escolheram este Agrupamento, por ser onde têm “mais intervenção”, com quem já têm “uma ligação de há muito tempo”, “uma maior proximidade” e um “melhor” conhecimento da “realidade”. Quando foi feita a “proposta” à direção do Agrupamento, esta considerou que “deveria de ser na EB 2/3 de S. Romão”.

A ideia de concorrer a este projeto surgiu na “intervenção” que iam tendo “junto das escolas”, onde verificaram que “o tema da sexualidade ainda não estava muito abordado e que faziam faz e continua a fazer falta”, sendo da opinião que “o tempo do programa é muito curto para as necessidades que existem na comunidade educativa”. Na opinião da técnica, o programa “devia de ser repetido” por ser “uma mais-valia que aconteça”, pois, “por muito que os jovens falem com os professores, que existam programas de sexualidade, é sempre diferente falar com alguém de fora, alguém da APF, e é sempre diferente a maneira como as vezes se abordam as questões”.