almoo-profs-1 

Longe da agitação das crianças e do som das campainhas, os professores das escolas da Trofa juntaram-se esta terça-feira para marcar o arranque do ano lectivo 2009/2010. O almoço promovido pela autarquia ficou ainda marcado pela homenagem aos professores aposentados.

“A Educação é uma profissão impossível”, segundo dizia Freud, mas os professores da Trofa parecem parecem negar essa máxima e esta terça-feira juntaram-se na Quinta da Azenha em Guidões para marcar o início de um novo ano lectivo.

Orgulhosos da profissão que desempenham os professores enalteceram a iniciativa da Câmara Municipal da Trofa que junta os docentes de todas as escolas do concelho e mostraram-se a postos para o início do ano lectivo.

“O nosso lema é fazer dos nossos trofenses adultos responsáveis e cidadãos livres mas responsáveis”, afirmou Júlia Macedo, professora na Escola Básica 1 de Paradela, que considerou a iniciativa que juntou os professores “uma óptima ideia”. Apesar das mudanças e das desavenças entre os professores e o Ministério da Educação, a docente garante: “os nossos alunos não têm culpa, vamos iniciar o ano com o nosso maior empenho e com a maior disponibilidade possível”.

José Magalhães, professor na Escola EB 2,3 de S. Romão do Coronado também aprovou a iniciativa da autarquia e considerou-a uma mais valia para os novos professores que chegam este ano às escolas da Trofa. “É uma excelente iniciativa no sentido de acolher, quer o professores que já estavam neste concelho a trabalhar, quer aqueles novos professores que chegaram este ano visto que é um ano concursal e houve uma imensa mobilidade de profissionais entre escolas e muitos deles acabaram por vir trabalhar para este concelho”, afirmou.

Este jantar marcou a chegada de novos professores, mas para outros foi a despedida da profissão. No entanto Ana Maria Sequeira garantiu: “não nos desligamos completamente, isso é impossível”. Satisfeita com a homenagem prestada a professora recordou os bons momentos: “de memórias ficam saudades das crianças, do convívio do dia a dia, o convívio com as colegas, o bom ambiente que tinha na escola”.

Helena Durães foi outras das docentes homenageadas e das boas recordações, a professora lembra o “respeito e consideração” do Presidente da Câmara, Bernardino Vasconcelos, pelos que ensinam e as reformas que iniciou em todas as escolas do concelho. “O sr. Presidente da Câmara, teve sempre muito respeito e consideração por nós professores, pelas escolas. É sempre gratificante sabermos que o nosso trabalho foi reconhecido e que somos homenageados. E de memórias como em tudo na vida, tenho algumas boas, outras menos boas, mas principalmente estes últimos anos foram muito bons porque as escolas foram apetrechadas. Começámos a ter recursos para podermos trabalhar de maneira como nós queremos”, reconheceu.

A autarquia reconheceu ainda o trabalho dos professores Maria Emília Gonçalves Pereira Magalhães, Maria Adelina Azevedo Silva, Maria Helena Morais Mendes Raposo, António Costa Azevedo, Fernanda Neto Azevedo, Maria Ilda Ferreira da Silva Moreira, Maria Eduarda Fernandes Campos Costa, Maria Jacinta Oliveira Serra, Maria Luísa Padrão Ferreira Cruz, Maria Manuela Padrão Ferreira Cruz, Paula Maria Eça Ferrão Sousa Lopes e Maria da Conceição Heitor Santos Branquinho.

O interesse pela educação das crianças da Trofa é motivo de contentamento para Bernardino Vasconcelos que também marcou presença neste almoço. “Fico feliz porque juntamos aqui os professores todos, poderá falhar um ou outro, mas estarão aqui cerca de 250 professores que actuam nas várias etapas da vida de uma criança. Sempre notei neles uma grande preocupação, não só pela educação e aprendizagem, mas também para a formação”, referiu o autarca.

Com vista a dar uma melhor educação possível às crianças da Trofa Vasconcelos confessou ainda que este almoço serviu de “ponto de encontro entre os professores, porque a comunidade escolar tem de conversar “. “Temos vindo a trabalhar em conjunto de uma forma continuada, sempre na perspectiva de dar às crianças durante o seu período de formação as melhores condições”, acrescentou.