Dois indivíduos tentaram assaltar ourivesaria Memórias d’Ouro, mas acabaram presos pela GNR. Tribunal de Vila Nova de Famalicão decretou-lhes prisão preventiva.

O juiz do Tribunal de Vila Nova de Famalicão não teve “mão leve” na aplicação das medidas de coação aos dois indivíduos que tentaram assaltar a ourivesaria Memórias d’Ouro, na sexta-feira. Perante o perigo de fuga e a probabilidade de repetirem o crime, o juiz decidiu aplicar prisão preventiva para o ucraniano e o russo, de 31 e 37 anos.

Os homens – que não tinham residência nem ocupação profissional fixa – vão, assim, aguardar julgamento no estabelecimento prisional de Custóias e, ao que o NT apurou, no SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) já decorriam processos de expulsão dos indivíduos do país aquando da tentativa do assalto.

Na sexta-feira, no seio das pessoas que se aglomeraram junto à ourivesaria, a opinião era geral: a Rua Conde S. Bento tinha sido palco de uma cena digna de um filme. Em pleno centro da cidade, os indivíduos entraram dentro da loja e “como clientes normais” pediram “para trocar a pilha” de um relógio, contou ao NT Renato Lima, proprietário do estabelecimento. Mal se virou de costas, o dono percebeu, através da câmara de vigilância, que os larápios se dirigiram para uma estante e começaram a tirar objectos. “Eles conseguiram abrir a primeira porta e começaram a tirar tudo de lá de dentro”, contou Renato Lima.

Leia a reportagem completa na edição 288 do NT, já disponível nas bancas.