GD-Covelas-1 

O Grupo Desportivo de Covelas quebrou a tradição e substituiu o branco pelo preto, acompanhando-o com o verde. Um “fetiche” ou talvez “um pouco de superstição” para dar sorte esta temporada, em que a direcção quer algo mais que a manutenção neste que é o quarto ano federado.

Para abrilhantar a apresentação, no passado sábado, a equipa convidou a primodivisionária Escola DC Gondomar. Várias dezenas de pessoas encheram o pavilhão desportivo da EB 2/3 de S. Romão do Coronado para ver a nova equipa que, segundo o presidente David Ferreira, vai tentar a subida.

Liderada por Miguel Reis, a equipa covelense não evitou a derrota por 0-2, mas deu boas indicações à equipa técnica.

Um plantel com um invulgar número de atletas: ao todo são 18 jogadoras que preenchem o balneário trofense e que tentarão encontrar o caminho onde a meta é a 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto. O elevado número de jogadoras Miguel Reis justifica-o com o amadorismo da competição

“Da época passada ficaram quase todas, excepto duas, uma por dispensa e outra por indisponibilidade. Os reforços são sete, gosto de trabalhar com plantéis muito grandes, porque isto é tudo amador, depois vêm as lesões e a falta de tempo e as pessoas não ganham dinheiro e isso torna-se mais susceptível à desistência”, refere.

Ao contrário do presidente, Miguel Reis prefere deixar a subida de divisão para segundo plano. Primeiro é preciso “fazer um bom campeonato” e isso passa por “ficar muito acima daquilo que ficou no ano passado”. “Se der para subir fantástico, se não der… Prefiro uma subida sustentável do que depois vir em queda livre”, alertou.

O técnico não esconde a “onda de euforia” que se vive no seio do clube, porque “a equipa está mais forte do que no ano passado, fruto talvez dos reforços e da alteração de alguns métodos de jogo e de treino em que elas estão a encaixar muito bem”, explicou Miguel Reis.

Miguel Reis quebrou uma promessa e aceitou o convite de treinar uma equipa da terra natal. A relação com o presidente “já é antigo” e depois de um ano de “part-time” na equipa, Miguel Reis não se rendeu “às excelentes condições” e decidiu abraçar o desafio.

David Ferreira está confiante num bom campeonato. Quer a subida, mas não a encara como um objectivo: “Se não for possível vamos tentar uma boa classificação”, afirma.

Depois de um período em que teve que desistir do futebol de 11 por “falta de apoios”, David Ferreira decidiu apostar na equipa feminina que federou há quatro anos.

Conta com o apoio a Câmara Municipal, que disponibiliza transporte e um subsídio, assim como a Junta de Freguesia. Este ano conseguiu um patrocinador para o equipamento novo.

O Covelas começa o campeonato a 10 de Outubro, em casa, com o Âncede.