O presidente Junta de Freguesia do Coronado, José Ferreira, mostrou-se desagradado pelo facto de a Junta não ter sido informada da distribuição de cabazes e questionou o porquê de a Ascor ter guardado os cabazes sobrantes e não ter sido pedido esta tarefa à junta.

Na Assembleia Municipal no período antes da ordem do dia, José Ferreira, presidente da Junta de Freguesia do Coronado, mostrou-se “surpreendido” por a Câmara Municipal ter iniciado a distribuição dos cabazes “sem ter dado conhecimento à Junta de Freguesia”, contrariamente ao que aconteceu com as restantes juntas que tiverem “conhecimento por e-mail”, quando esta tinha “colaborado” em todos os procedimentos, como as “inscrições e enumeração das famílias” e “uma ordem de entrega, para que quando esta fosse feita não se andasse de um extremo da freguesia para outro”. “Não faço questão de estar presente na distribuição dos cabazes, o que faço questão é de ser informado uma vez que a Junta colaborou com a Câmara Municipal na orgânica, na atribuição, na contemplação e na receção de toda a documentação necessária para a atribuição dos cabazes.

Leia a reportagem completa na edição nº 454 do jornal O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.