A gasolineira Gas Porto, situada na Lagoa, freguesia de Santiago de Bougado, na Estrada Nacional 104, foi assaltada na noite de quinta-feira. Os assaltantes usaram o pretexto de comprar combustível para cometer o delito.

Previa-se uma noite de quinta-feira calma, como nos dias habituais, mas não foi isso que o funcionário da gasolineira Gas Porto veio a comprovar. Eram cerca das 22 horas, quando três indivíduos se dirigiram ao posto de abastecimento, situada em Santiago de Bougado à face da Estrada Nacional 104, com o falso pretexto de encher um bidão com combustível. O funcionário quando se aproximou é que se apercebeu, que se tratavam de falsos clientes, e de que tudo se tratava de um assalto. Os assaltantes “fizeram pressão” sobre o empregado, que acabou por lhes entregar os 125 euros, que tinha em caixa. Depois de terem conseguido consumar o delito, os indivíduos fugiram, a pé, em direção a Vila do Conde.

Segundo Adriano Barbosa, proprietário da gasolineira, o empregado ficou de tal maneira “traumatizado”, que nem conseguiu tomar qualquer medida. “No dia seguinte, de manhã, quando cheguei aqui (gasolineira), é que ele me contou a história dos falsos clientes”, afirmou, acrescentando que o funcionário não conseguiu reconhecer os assaltantes, pois estes traziam “um chapéu e capucho na cabeça”.

O proprietário contactou a Guarda Nacional Republica da Trofa, para participar o assalto que tinha havido, com os falsos clientes. A GNR deslocou-se ao local, de forma a proceder à recolha de provas. Adriano Barbosa garante que a atitude do funcionário “foi a melhor”, caso contrário “podia ser agredido, o que seria bem pior”.

{fcomment}