Foi com fardamento novo que a Polícia Municipal se apresentou na Escola Básica 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques para mais uma ação de sensibilização junto das crianças.

Os novos equipamentos desta autoridade resultam de um investimento que a autarquia está a fazer para promover “a proximidade à população”. Segundo Assis Serra Neves, vereador da Polícia Municipal, as novas fardas, de verão e inverno, custaram à Câmara Municipal “cerca de dez mil euros” e “estão dentro das normas”, reproduzindo o que se está a ver por “quase toda a Europa”. No novo equipamento da força policial constam ainda os já anunciados coletes balísticos, descontaminantes e o gás pimenta. A autarquia vai ainda dotar a Polícia Municipal de um “alcoolímetro” para as operações de fiscalização rodoviária.

Mas os novos acessórios são apenas um elemento que permite à Polícia Municipal prestar um serviço essencial à comunidade. A complementar o equipamento está o trabalho desenvolvido em vários projetos, como o “Segurança na Escola”, que arrancou com o novo ano letivo.

O comandante desta autoridade, Sérgio Inverneiro, referiu que este projeto está a ser desenvolvido nos “mesmos moldes do ano passado”, mas “será alargado a quase todas as escolas das oito freguesias do concelho”.

A agente Natália Pereira, acrescentou que a ação da Polícia Municipal passa por “dar conselhos na receção dos alunos”, como aconteceu na EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques. “Também fazemos acompanhamento nas horas de saída em várias escolas, principalmente naquelas em que há maiores entraves a nível de trânsito e nas quais a nossa presença é uma fonte de segurança para as crianças”, esclareceu.

Esta ação da Polícia Municipal não se estende só às crianças, mas também aos pais: “Realizamos ações de sensibilização para aconselhar os condutores a transportar corretamente as crianças no automóvel, pois este é um problema com o qual lidamos, diariamente, na Trofa”.

Outros projetos

Este é um dos muitos projetos que a Polícia Municipal está a desenvolver, como o “Segurança Sénior”, que foi apresentado aquando o Passeio Anual dos idosos a Espinho e que já mobilizou “mais de 20 inscrições”. “Depois de se inscreverem junto dos nossos serviços, as pessoas serão visitadas para serem esclarecidas sobre todos os aspetos solicitados”, explicou Sérgio Inverneiro.

Mas se este teve, logo no primeiro dia, “uma grande adesão”, há outros projetos em que a receptividade não é tão expressiva. É o caso do “Casa Segura”, no qual a Polícia Municipal “vigia” a habitação de uma pessoa ou família que se ausentar por um período de tempo.

Por outro lado, esta força policial vai continuar a ter pulso firme na recolha das viaturas abandonadas: “Estão na via pública sem seguro nem inspeção obrigatória, o que incorre em multas de 500 e 250 euros, respetivamente. Mas, o mais grave, é a poluição que isto provoca e a ocupação ilícita de um local que pode servir de estacionamento para outros utentes da via pública”.

“Servir melhor a população” e “estar mais próxima dos cidadãos” são os objetivos da Polícia Municipal. “A polícia não é só conhecida pelas multas, pois também faz muito trabalho de proximidade e sensibilização”, frisou Assis Serra Neves.

No futuro, a autarquia tem ainda intenção de renovar os parquímetros no centro da cidade.

 

{fcomment}