A frase “os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês”, foi o “pontapé de saída” desta atividade, que encantou dezenas de covelenses.

De forma a promover a descentralização da oferta cultural, a Câmara Municipal da Trofa promove, todos os meses, a atividade “um café e um poema” pelas freguesias do concelho. A sede da Junta de Covelas recebeu, no dia 24 de fevereiro, sexta-feira, esta iniciativa, onde foram recordados poemas de autores como António Gedeão, Miguel Torga, Florbela Espanca, Almeida Garrett, Sophia de Mello Breyner Andresen, José Carlos Ary dos Santos, Luís de Camões, Bocage, Fernando Pessoa, Cesário Verde, Mário Cesariny de Vasconcelos, António Ramos Rosa, Sebastião da Gama, Eugénio de Andrade, Irondino Teixeira Aguiar, Maria Alberta Menéres. Alexandre O’Neill, entre tantos outros.

Nesta sessão participaram José Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, João Fernandes, presidente da Assembleia Municipal, e Fernando Moreira, presidente da Junta de Feguesia de Covelas.

Devido ao grande sucesso, no mês de março, os poemas e a declamação voluntária estarão de regresso numa outra freguesia do concelho. 

{fcomment}