incendio coronado

A Polícia Judiciária deteve um homem, de 67 anos de idade, na zona do Grande Porto, por suspeita de ter ateado fogo no prédio da Praceta Água Viva, em S. Romão do Coronado, na tarde de 15 de julho.

Segundo informação de fonte da PJ, o suspeito vai ser presente ao tribunal de Santo Tirso, para ser interrogado e ser-lhe aplicadas as medidas de coação.

O incêndio teve origem em ignição perpetrada numa das viaturas automóveis que ali se encontravam aparcadas, dele resultando ainda danos noutra viatura e em componentes móveis e estruturais do prédio. Os Bombeiros Voluntários da Trofa tiveram de evacuar nove pessoas, uma das quais criança. Dezoito famílias ficaram desalojadas, na sequência do incêndio.

“O suspeito terá agido com motivação de vingança e ódio em virtude de ter cessado, contra a sua vontade, uma relação amorosa que vinha mantendo com uma mulher residente no citado prédio”, diz a mesma fonte. 

Recorde-se que o NT, na notícia publicada na edição de 17 de julho, entrevistou José Coelho, habitante do prédio, que afirmou estar convencido que o incêndio foi provocado no seu automóvel, comprado “há um mês e 15 dias”. A mulher do qual o suspeito, alegadamente, se quis vingar, estava na casa de José Coelho e afirmou ao NT: “Esse indivíduo já andou atrás de mim há meio ano e até me ameaçou de morte”.