Rui Nova e a Orquestra de Ritmos Ligeiros (ORL) envolveram o público, que lotou o Cine-Teatro Garrett, com a magia da música, da espetacularidade de grandes musicais, da jovialidade de interpretações e grandiosidade dos convidados, que partilharam o palco.

No meio do concerto a emoção espalhou-se pelo público, quando Tiago Gil Lopes, trompetista e diretor da Orquestra Ritmos Ligeiros, da Trofa, pediu em casamento a sua namorada desde há oito anos, Cláudia Silva.Rui Nova convidou para esta apresentação, Cristiana, a cantora portuense com quem interpretou em dueto “O Fantasma da Ópera”, temas emblemáticos de vários festivais da canção, entre outros.

A espetacularidade de “My Way”, no Garrett, passou ainda pela interpretação da versão de “New York, New York” adaptada à cidade da Póvoa de Varzim, “Vais adorar Póvoa do Mar”, em que Rui Nova foi acompanhado por Manuel Moura e André Pereira; pela recriação de “Tomorrow” em português, do Musical “Annie”, com Adriana Paquete, que foi protagonista há cinco anos no Musical produzido por Filipe La Feria; ou ainda a recordação do tema que foi à final do Festival RTP da Canção em 2010, interpretado em parceria com Noé Gavina, “Uma canção à Cid”.

Daniela Lage e Elsa Ferreira, da ORL, tiveram espaço para interpretações a solo, demonstrando com maior evidência a qualidade das suas vozes, que confirmam o lugar merecido que ocupam nos coros da orquestra.

Depois de uma primeira apresentação em janeiro, o concerto percorre os palcos do país apresentando cerca de 30 artistas orientados pelo maestro Vítor de Sousa, ainda com a participação do pianista Joaquim Bento e a coordenação de Som/Luz de Fernando Nogueira. O dia 18 foi reservado para fazer brilhar o Cine-Teatro Garrett com a sucessão de memórias auditivas, desde os reis Roberto Carlos a Elvis Presley, passando pelos Beatles, Bee Gees, Elton John, Freddie Mercury e, claro, Frank Sinatra, a voz intemporal…