O Partido Comunista Português pediu explicações ao ministro da Economia e do Emprego, sobre o atraso nas obras da A3 (troço entre Maia e Trofa/Santo Tirso). 

“Há cerca de três anos que decorrem obras na autoestrada 3 (A3) (troço entre Maia e SantoTirso/ Trofa), cujos trabalhos deveriam estar concluídos há vários meses”. É desta forma que o Partido Comunista Português informou, em comunicado de imprensa, que questionou o ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, sobre o atraso no término destas obras, denunciando “os impactos destas nos utentes daquela via”.

Numa carta enviada à Assembleia da República, a deputada Lurdes Ribeiro começa por informar que a A3 é das autoestradas “mais movimentadas do País”, já que atravessam naquele troço “mais de 50 mil viaturas por dia”, referindo que “as populações e alguns autarcas da Trofa, Maia e Santo Tirso reclamaram a passagem de duas para três faixas de rodagem, entre as portagens da Maia e o nó de Trofa/Santo Tirso”. 

“No momento em que foi anunciado o início dos trabalhos, apontava-se o mês de maio de 2011 para conclusão da empreitada. O sítio da concessionária na Internet anuncia a conclusão da empreitada para março de 2012, mas, no entanto, ainda hoje estão por concluir, fazendo prolongar os constrangimentos por muito mais tempo do que inicialmente foi anunciado”, pode ler-se no comunicado enviado.

Leia a reportagem completa na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.

{fcomment}