Apesar de ter sido ainda mais restrita que o ano passado – em que a cruz não percorreu as casas dos fiéis mas circulou pelas ruas de toda a paróquia à “boleia” do padre Bruno Ferreira – a Páscoa fez-se sentir com igual simbolismo na casa de Alfredo da Costa Azevedo.

Cumprindo a tradição “de sempre”, a família daquele que é conhecido, no mundo escutista, por Chefe Alfredo, embelezou o chão de casa com um belo e colorido tapete, assinalando, assim, a Ressurreição de Cristo.

Ao longo do período da Quaresma, também foram muitos os trofenses que, por todo o concelho, acederam ao desafio dos párocos e decoraram uma cruz, que penduraram no exterior das habitações.