O sangue e os vidros no passeio alertavam para algo de anormal. Um indivíduo partiu o vidro da montra do Talho Concorde, na Rua D. Pedro V, cerca da 1 hora, de quarta-feira, mas acabou por não roubar nada. Ganhou apenas ferimentos numa das mãos.

De acordo com o proprietário, Aníbal Leal, terá sido “algum vizinho que alertou a GNR” ao “ouvir o estrondo” da montra a partir e o barulho do alarme. Na sequência de ter partido o vidro, o indivíduo acabou por se cortar na mão esquerda e pôs-se em fuga, mas a guarda capturou-o 20 metros à frente, na posse de um alicate, uma chave-de-fendas e uma lanterna.

O indivíduo foi de seguida transportado para a unidade de Santo Tirso do Centro Hospitalar do Médio Ave, onde recebeu tratamentos. Durante a manhã foi presente a tribunal e o caso baixou a inquérito.

Esta é já a segunda vez que o Talho Concorde é assaltado. “A primeira vez foi há seis anos”, comentou Aníbal Leal, lembrando o prejuízo do furto: “Foram as caixas das moedas e os estragos numa balança”. Desta vez o prejuízo foi apenas o vidro partido, que na manhã de quarta-feira foi substituído.