Depois de terminada a escolha dos nomes, os quatro partidos políticos com maior representatividade no concelho já apresentaram as listas de candidatura às eleições autárquicas de 11 de Outubro. Enquanto o PSD apresentou os documentos há cerca de uma semana, os restantes partidos dirigiram-se ao tribunal de Santo Tirso esta segunda-feira.

Satisfeito com o balanço da elaboração da lista do CDS, Paulo Serra diz que foi “um orgulho” entregar as listas do partido, pelo qual se candidata à Câmara Municipal. “Apesar de todos os inconvenientes que os partidos mais pequenos têm, somos um partido com uma postura e sempre a mesma identidade na Trofa, por isso considero que correu muitíssimo bem, não só em termos para a Câmara, como a Assembleia Municipal e todas as juntas de freguesia”, afirmou ao NT/TrofaTv.

entrega-listas-candidatura

Confiança para vencer é o que caracteriza os nomes que figuram na lista do CDS e Paulo Serra sublinhou que quando o partido parte para uma campanha “é sempre com o objectivo de ganhar”. “Por isso vamos lutar para isso, é uma alternativa que temos à Trofa e aos trofenses”, ressalvou.

Crescer no campo eleitoral é o objectivo da CDU, que apresenta uma lista onde figuram vários independentes que quiseram associar-se ao projecto da coligação. Para Paulo Queirós, candidato à Assembleia Municipal da Trofa, a entrega do documentos representou “o culminar de um processo de recolha de nomes, muitos militantes, muitos activistas e amigos da CDU”, sendo importante “frisar que muita da lista é composta por independentes que aceitaram dar a cara por este projecto comum, gente que ainda acredita que o concelho da Trofa tem futuro, que as freguesias podem-se desenvolver ainda mais”.

entrega-listas-candidatura-

Apesar das dificuldades sentidas nas freguesias “mais rurais” do concelho devido à reduzida implantação de militantes, a CDU garante que irá aumentar a representação. “Todos que estão nas nossas listas perceberam que está na altura de fazermos uma ruptura na maneira de fazer política no nosso concelho, porque já chega daquelas festas megalómanas e das festas faraónicas para começarmos a pensar naquilo que é essencial para a população”, defendeu Paulo Queirós. “Sentimos que este ano a população sente que realmente vai valer a pena fazer a ruptura e dar a oportunidade àqueles que nunca a tiveram e temos plena confiança que iremos crescer significativamente no campo eleitoral”, acrescentou.

Juventude, um elemento feminino e candidatos independentes são os os pressupostos cumpridos pela lista do Partido Socialista. Reconhecendo que a elaboração das listas “é sempre um processo complexo”, Joana Lima, candidata pelo PS à Câmara Municipal da Trofa, adiantou que o partido conseguiu umas listas “com abrangência, nomeadamente com um jovem a liderar a Junta de Santiago de Bougado, uma senhora a liderar a Junta do Muro e independentes”. Apostando numa política “diferente e de proximidade com os eleitores”, o PS já se encontra no terreno, a realizar visitas de porta em porta em algumas freguesias do concelho. “Este sinal que queremos dar à população é já um sinal que temos uma política de maneira diferente, falar com as pessoas e dar a cara, dizer às pessoas que confiem”, referiu Joana Lima. Para a candidata socialista o mais importante é “devolver a Trofa aos trofenses” a dar a oportunidade de todos eles de “participar activamente em tudo o que seja decisão”.

paulo-serra

Já Tiago Vasconcelos, director de campanha do PSD, adiantou que a elaboração das listas do partido para as autárquicas decorreu de forma “serena” e que as mesmas foram entregues há cerca de uma semana.

Tiago Vasconcelos diz “encher-se de orgulho” com a entrega mais antecipada das listas, o que é “fruto da atractividade do projecto do PSD”, o que permitiu entregar a lista com tempo, a horas e que também manifesta uma organização do próprio partido na elaboração das listas”. “Foi um processo sereno e que revela que este projecto que o PSD tem para a autarquia da Trofa, quer seja para a Câmara Municipal, quer seja para a Assembleia Municipal, quer seja para as Juntas de Freguesia, é um projecto que atrai muita gente e que nos permitiu escolher os melhores”, garante o responsável. De acordo com Tiago Vasconcelos, as listas do PSD caracterizam pela “credibilidade na postura, nas palavras, coerência entre as palavras e a postura, dinamismo, com vontade de fazer ainda melhor e com independência face ao poder central”.

tiago-vasconcelos-1

O responsável pela campanha do PSD aproveitou ainda para fazer um apelo aos outros partidos políticos para que se faça uma campanha com “seriedade e credibilidade” e “não andar a dizer uma coisa e fazer outra”. “Apelo a que haja muita serenidade, muita seriedade e credibilidade nas propostas a apresentar e na forma de fazer campanha daqui até ao dia 11 de Outubro, porque todos nós trofenses merecemos que assim seja”, rematou.

Depois das listas entregues, os quatro partidos têm agora que apresentar os candidatos em falta aos órgãos autárquicos. À CDU falta apresentar os candidatos a sete das oito assembleias de freguesia, enquanto que o CDS remeteu para início de Setembro a apresentação de todos os elementos das suas listas, mas sabe-se já que será Paulo Serra o candidato à presidência da Câmara Municipal da Trofa. Já o Partido Socialista deverá apresentar nos próximos dias Inês Neves como cabeça de lista à freguesia do Muro. Quanto aos social-democratas falta apenas tornar públicos os nomes escolhidos pelo partido para a Assembleia Municipal.

PS será o primeiro no boletim de voto

Ao meio dia de terça-feira foi sorteada a ordem pela qual o nome dos partidos vai aparecer nos boletins de voto das eleições autárquicas do dia 11 de Outubro. Para a Câmara, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia do concelho da Trofa a ordem será a mesma. O Partido Socialista (PS) aparece em primeiro lugar, seguindo-se a CDU- Coligação Democrática Unitária, o Partido Social Democrata (PSD) e o CDS/PP – Centro Democrático e Social Partido Popular.