Dia dos Frágeis foi assinalado em S. Martinho de Bougado com uma eucaristia e tarde de convívio entre idosos, doentes e pessoas com deficiência.

A paróquia de S. Martinho de Bougado uniu esforços para proporcionar uma tarde diferente aos mais frágeis, numa iniciativa do Grupo Apostolado da Caridade e da Conferência S. Vicente Paulo mista e feminina. No domingo à tarde, os utentes do Lar Padre Joaquim Ribeiro, da Santa Casa da Misericórdia da Trofa, da ASAS (Associação de Solidariedade e Acção Social), da Cruz Vermelha e da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) tiveram a oportunidade de passar uma tarde diferente. Aos 92 anos, Blandina Campos era uma mulher feliz com a possibilidade de participar no convívio: “Gosto muito de tudo isto. Nunca me esqueço destes dias que são muito bonitos”.

Antes do convívio, todos participaram na eucaristia: “Se não fosse à missa, ficava triste”, confessou Blandina.

Também Cátia Gonçalves, aluna da APPACDM da Trofa, estava a divertir-se: “Gosto muito de estar aqui com as pessoas das outras associações”. Durante a eucaristia, Cátia cantou uma música a Nossa Senhora e confessou que sentiu “uma tristeza”. “Estava a rezar não só por mim, mas por todas as pessoas. Mesmo assim, foi um momento bonito”, apressou-se a explicar. Em dia de festa, a jovem não esqueceu quem não estava presente, mas que também precisava de uma palavra amiga: “Quero mandar um grande beijo para a Dona Filomena e para o filho, que está doente. Eles estão os dois a sofrer muito”.

Esta atividade já se realiza “há vários anos” na paróquia e o número de participantes “tem aumentado”, conforme explicou Luís Pinheiro, membro do Grupo Apostolado da Caridade. “Antigamente esta era a festa do doente, mas nos últimos anos chamamos Festa dos Frágeis, porque inclui doentes, deficientes e idosos”, explicou.

Luís Pinheiro reconheceu a “importância de assinalar este dia”: “Às vezes esta é a única oportunidade que estas pessoas têm para sair e conviver. É um dia diferente e todos os momentos assim que possamos promover são bem-vindos”.

Durante o lanche, a Associação Cultural e Paroquial de S. Martinho de Bougado recordou algumas músicas populares, que todos cantaram em harmonia. Além disso, como não podia deixar de ser, foi partido o bolo, com votos de “felicidades” para todos.

{fcomment}