quant
Fique ligado

Ano 2012

Para que serve um eleito

Publicado

em

O povo quando escolhe, em eleições livres, os seus representantes tem como objetivo principal, a escolha de personalidades habilitadas para o cargo a que se candidatam e que sabem interpretar o seu sentir e responder às suas aspirações para o representar dignamente. Ao votar, o povo está a delegar naqueles que pensa serem os mais capacitados para gerir em seu nome. É assim, numa democracia representativa.

O problema não está quando o povo vota; o problema está no dia seguinte à contagem de votos. Aí, o interesse pelo bem-estar do povo e as suas aspirações já não contam para nada, ou contam muito pouco, pois o eleito já conseguiu o que queria: ser eleito e ocupar o lugar que tanto trabalho deu para o conquistar (nalguns casos) e diga-se em abono da verdade, o lugar que tanto ambicionava (em muitos casos). É como o povo diz: “quem quer a bolota trepa”… e eles treparam.

Sentados na “cadeira do poder”, muitos dos eleitos começam a sofrer de doenças neurológicas, cujo primeiro sintoma é perda de memória, provavelmente provocada pelo excesso de uso de ansiolíticos, essenciais no combate ao peso na consciência.

É assim, muitas vezes, o exercício de poder: muita canseira, muita asneira, muita verborreia, que originam muitos cabelos brancos (a quem ainda não os tem), e muitas rugas no rosto (mesmo que encobertas com cremes especiais). Tudo isto provocado pelas insónias. Todos sabem, que o que tira o sono não é a obra feita, mas a obra que não foi feita; não são as promessas cumpridas, mas as promessas por cumprir, que tiram o sono.

Já é mais que tempo, de o povo entender, que as promessas feitas pelos políticos, em campanha eleitoral, não são para cumprir. É assim, tem sido quase sempre assim. Quem não se lembra do político criticar, em campanha eleitoral, o seu antecessor, por ter aumentado os impostos e fazer a promessa de não os aumentar, mas mal chega ao poder é a primeira medida que toma? Quem não se lembra da promessa de políticos, em campanha eleitoral, de construir uma nova via rodoviária e quando chegam ao poder, nem sequer constroem um passeio, quanto mais uma estrada, mas empregam de imediato o irmão, a irmã, o cunhado, o tio, o sobrinho, o primo, a cunhada do cunhado e também o “jota”, com a obrigação de ele arrancar com a “jota” lá do sítio? Não é nenhuma ficção; é mesmo assim a realidade. Infelizmente!

É preciso votar nos candidatos mais capacitados, nos mais honestos, naqueles que oferecem mais confiança, que vão cumprir com o prometido. É preciso que os eleitos sejam excelentes gestores do bem público e que considerem o Poder como sinónimo de serviço, de missão.

Um eleito serve para ajudar o povo que o elegeu a construir a sua própria felicidade. É tempo de o povo não dar o seu voto àqueles que consideram o Poder um “arranjinho” para si, para os seus familiares e amigos, para os seus apaniguados.

Os políticos que trabalham em função dos seus próprios interesses, não merecem o voto do povo. Um bom político serve o povo, não se serve do Poder. Um bom político cumpre o que promete. A sociedade portuguesa precisa com urgência, de bons políticos, sérios, que prestem serviço ao povo, que sejam dignos representantes de quem os elegeu, enfim… políticos que façam boas políticas, que visem o bem-estar do povo.

Publicidade

José Maria Moreira da Silva 

moreira.da.silva@sapo.pt

www.moreiradasilva.pt

{fcomment}

Publicidade
Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Ano 2012

Verbas da Câmara para as obras da Junta tema da Assembleia

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária de dezembro da Assembleia de Freguesia de S. Romão foram aprovados o Plano de Atividades e Orçamento para 2013.
Informação sobre a reunião do executivo e membros da Assembleia de Freguesia com Joana Lima sobre as “transferências deliberadas em maio de 2009 e destinadas à remodelação da Casa Quinta de S. Romão” provocou divergências.

(mais…)

Continuar a ler...

Ano 2012

Assembleia de S. Mamede – Documentos previsionais aprovados com abstenção do PSD

Publicado

em

Por

Na sessão ordinária da Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado foram aprovadas, com a abstenção do PSD, as propostas para o Plano de Atividades, PPI, Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013.

O Plano de Atividades, o Plano Plurianual de Investimentos (PPI), Orçamento e Mapa de Pessoal para 2013 estiveram em discussão na última Assembleia de Freguesia de S. Mamede do Coronado, que decorreu na quinta-feira, dia 20 de dezembro.

(mais…)

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);