A criação de turmas mistas na Escola Básica de Cedões está a causar alguma “apreensão” nos encarregados de educação, que subscreveram um abaixo-assinado a solicitar ao diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa que “avalie” a situação.

No documento a que o NT teve acesso, os pais e encarregados de educação manifestaram “admiração” com a distribuição de “14 alunos do 1.º ano” nas turmas do 2.º e 4.º ano e estão “preocupados” com a “inclusão de meninos e meninas de apenas seis anos, que vivem a sua primeira experiência escolar, junto de alunos finalistas de nove e dez anos, com interesses, hábitos, atitudes, brincadeiras e aprendizagens completamente diferentes, cujas consequências podem não ser as ideais”.

“Mais grave ainda é o facto da turma mista do 1.º e 4.º ano incluir duas crianças com necessidades educativas especiais, que impõem um acompanhamento muito mais próximo e absorvente, não compatível com a realidade de ter que lecionar um programa exaustivo e exigente do 4.º ano, em que os alunos têm que prestar provas nacionais, e do 1.º ano, em que as crianças estão a iniciar o seu percurso académico”, referem no abaixo-assinado. Os encarregados de educação solicitam, por isso, a criação de “duas turmas independentes, defendendo também os interesses específicos das crianças com necessidades educativas especiais”.

Os subscritores não compreendem o facto de não haver uma turma com 14 crianças, quando “no passado, a escola já funcionou com uma turma de apenas 11 alunos”. “No Agrupamento de Escolas da Trofa há estabelecimentos de ensino a funcionar com turmas com 18 alunos, o que na realidade acaba por não ser tão díspar da solução que propomos, que seria criar uma turma de 14 ou 16 alunos do 1.º ano e que se manteria ao longo dos próximos quatro anos letivos”, pode ler-se no documento. Segundo os encarregados de educação, existem “duas transferências pendentes para Cedões de duas crianças do 1.º ano”.

A “reforçar” o apelo, dizem os pais, está o facto de a Escola “oferecer as condições ideais para concretizar a criação de quatro turmas, uma por cada ano escolar, pois dispõe de quatro salas de aula, podendo assim garantir um espaço de aula independente e um professor próprio para cada ano escolar”.

Contactado pelo NT, o diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa confirmou a receção do abaixo-assinado e referiu que está a “analisar o pedido”, sendo que “as turmas foram elaboradas por critérios definidos pela lei e foram aprovados pelos conselhos geral e pedagógico”. Paulino Macedo sublinhou, no entanto, que “as turmas são provisórias e ainda não foram aprovadas pela DGEstE (Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares)”.