Quando um assunto é importante ou polémico muitas são as vozes, e as opiniões, maior parte das vezes discordantes ou opostas.

  Na questão da localização dos Paços do Concelho, assunto importante e polémico, não temos lido nem ouvido muitas opiniões.

Será que, como já tenho dito algumas vezes, os Trofenses não se importam com o rumo que a sua terra está a levar ?

Será que julgam que a sua opinião não tem valor ?

Não creio. A opinião de todos, e de cada um, tem valor se for emitida sem segundas intenções e sem procurar  defender os interesses particulares em detrimento dos interesses colectivos. Devemos, todos nós, procurar o que julgamos o melhor para a nossa terra.

A actual Câmara Municipal está a programar instalar os Paços do Concelho nos terrenos da antiga Serração da Capela. Com esta pretensão também o Parque Senhora das Dores será afectado, quer devido à sua proximidade, quer a necessidade de ceder terreno para construção, em troca da edificação dos Paços. E o terreno não cresce e por isso o Parque será afectado. Em que medida só futuro nos dirá.

Temos uma cidade que tem crescido em betão mas não tem acompanhado este crescimento com zonas verdes e de lazer correspondentes, logo preocupa-nos o rumo que poderá levar este nosso parque.

Para além disto irá ser aumentada a pressão habitacional numa área já de si muito sobrecarregada. Serão mais habitações, serviços, carros, pessoas e confusões na zona do Catulo. E todos nós sabemos o que é atravessar o Catulo.

Todos somos descentralizadores mas quando é preciso localizar alguma obra emblemática ou importante, não conseguimos olhar para além dos limites da Freguesia.

Há lugares que precisam de um impulso para se desenvolver, que tem espaço livre para se programar um verdadeiro centro cívico, que se poderá aceder facilmente com os novos meios de transporte programados, só que não estão à vista do Catulo. É preciso ter a coragem para discordar daquilo que nos apresentam como a melhor solução, e ter opinião própria.

Com isto não pretendo dizer que quem tenha uma opinião diferente da minha não esteja preocupado com o melhor para a Trofa, mas quando vemos a maneira como olham para as obras em curso na Trofa temos que nos preocupar.

Quando foi feita a obra de requalificação da EN 14, foram abatidas uma série de árvores, sem ter havido replantação, a não ser num troço onde os moradores foram capazes de pressionar para substituição das árvores.

Agora na requalificação da Rua Infante D. Henrique novamente foram abatidas umas tílias, junto ao inicio da freguesia de ST Bougado, com requintes de malvadez, pois foram logo estraçalhadas para não haver hipóteses de serem plantadas noutro sitio. E não estamos a falar de arvores velhas, mas sim de jovens árvores que podiam ser transplantadas facilmente.

Quando tratam as jovens árvores da rua assim, o que farão às velhinhas árvores do Parque ?

 

Paulo Queirós

pauloqcruz@netcabo.pt