Quando, em 1999, tomou posse a Comissão Instaladora do Concelho da Trofa, definiu como uma das prioridades criar condições para, a muito curto prazo, serem construídos os Paços do Concelho. 

Em 2001, este objectivo foi reiterado e ,em 2005, a mesma pessoa que em 1999 tinha definido este grande objectivo voltou a assumi-lo. 

A realidade é que, quase 10 anos volvidos, o processo continua quase no mesmo sítio.

 Continuámos com um edifício da Câmara muito pouco condigno, com os serviços espalhados por diversos locais sem dignidade, a pagar rendas significativas mês após mês. 

Tudo isto acontece pela ausência de estratégia e de rumo também neste aspecto em particular. 

A localização dos futuros Paços do Concelho já foi objecto de inúmeras discussões suscitadas pelo executivo municipal. Convidou-se inclusivamente um dos maiores arquitectos portugueses para elaborar um plano de pormenor da zona central da nossa cidade, que previa a construção do edifício da Câmara Municipal junto aos terrenos da Colpor numa zona de crescimento da cidade, criando uma nova centralidade e permitindo um desenvolvimento urbanístico mais harmonioso da nossa terra. 

Qual não foi o nosso espanto quando, há poucos meses atrás, fomos confrontados com a mudança na definição da localização dos Paços do Concelho para o denominado " Quarteirão da Serração da Capela". 

Não quero aqui abordar as vantagens e inconvenientes desta nova solução porque o mais grave estava para acontecer.  

Pelos vistos, e digo-o deste modo porque ainda não me acredito que seja verdade, a intenção é construir o edifício da Câmara no PARQUE NOSSA SENHORA DAS DORES AO LADO DA CAPELA JUNTO À ANTIGA SEDE DA JUNTA DE FREGUESIA. 

Num processo desenvolvido quase à sucapa, num concurso que parece um fato à medida em que só aparece um concorrente, sem nenhum tipo de discussão pública e sem se perceber a sensibilidade da população ao contrário da anterior localização, o Presidente da Câmara parece querer avançar para uma solução que fere o orgulho e indigna milhares de Trofenses. 

Chegados a este ponto importa que, na minha opinião, se ao Sr.Presidente da Câmara ainda resta algum respeito pela população da Trofa, sejam respondidas algumas questões: 

– É ou não verdade que se pretende construir o edifício da Câmara nos terrenos do Parque Nossa Senhora das Dores? 

– É ou não verdade que aquele terreno pertence à Junta de Freguesia de S.Martinho de Bougado através de uma doacção que lhe foi feita? 

– Qual a razão pela qual, com esta atitude sem o mais elementar bom senso, o Presidente da Câmara avança para uma solução em que sabe antecipadamente ferir o orgulho e a tradição histórica de toda uma população? 

Aguardemos pelas respostas… 
 
 
                               JOÃO MOURA DE SÁ