Select Page

Órgãos autárquicos tomam posse

assem_municipal.jpg

 

 

 

 

 

Daniel Figueiredo, Alberto Maia e Armando Sanchez são os novos elementos que compõem a Mesa da Assembleia Municipal da Trofa.

 

A cerimónia de tomada de posse decorreu a 28 de Outubro perante centenas de trofenses. No final dos trabalhos a CDU entregou ao presidente da Assembleia dois requerimentos que quer ver respondidos pelo executivo municipal.

Foi em clima de “casa cheia” que os novos elementos que compõe a Assembleia e a Câmara Municipal da Trofa tomaram posse. O Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários da Trofa encheu-se de trofenses que não quiseram faltar à assinatura do compromisso por parte dos eleitos para durante os próximos quatro anos.

No seu discurso o novo presidente da Assembleia Municipal, Daniel Marques de Figueiredo diz esperar que “os autarcas apesar das dificuldades que se avizinham e, infelizmente não são poucas, consigam atingir os seus objectivos para satisfação de todos os trofenses irem assim ao encontro às suas naturais necessidades e expectativas, aumentando, consequentemente a sua qualidade de vida”.

Figueiredo realçou ainda a forma transparente e isenta como a Assembleia Municipal trabalhou, permitindo que os debates de ideias estivessem sempre abertos a todos sem excepção”.

O presidente deixou uma sugestão. “Gostaria que durante este mandato se realizem assembleias municipais nas freguesias que disponibilizem instalações condignas para o efeito para termos uma melhor interacção com todos os munícipes”.

Já o presidente da Câmara Municipal da Trofa, Bernardino Vasconcelos afirmou que “a partir de agora deixa a de haver vencidos e vencedores e passa assim a conjunto de homens e mulheres a quem cabe dentro da responsabilidade atribuída a cada um, tudo fazer para continuar a recuperar o nosso concelho face a realidade regional em que nos inserimos. Sempre dissemos no âmbito da campanha eleitoral, que temos ainda um longo caminho a percorrer para colocar a Trofa no patamar de desenvolvimento que ela merece. O caminho até aqui percorrido foi um caminho duro, foi um caminho cheio de dificuldades e de obstáculos, mas isso nunca nos intimidou”.

O saneamento básico continua a ser a principal bandeira do executivo liderado por Bernardino Vasconcelos que salientou a importância da “empreitada de instalação das redes de água e saneamento para o desenvolvimento do concelho” acrescentando que os investimentos realizados nestas áreas são a demonstração clara da nossa capacidade negocial junto do governo central.”

Não esquecendo as reduzidas verbas atribuídas em PIDDAC para concelho da Trofa, o edil prometeu lutar contra as dificuldades económico-financeiras que estão bem expressas no orçamento de estado deste ano e também nas verbas divisórias do PIDDAC que nos foram atribuídas”, frisou.

Vasconcelos apelou à compreensão de todos pois numa lógica de contenção anunciou a racionalização de “meios humanos, técnicos e financeiros”, deixando antever a diminuição do número de pessoas a prestar serviços nos diferentes departamentos da autarquia.

“O novo ciclo de progresso e desenvolvimento para o nosso concelho tem projectos concretos a começar pela construção das piscinas municipais, a consolidação do parque das azenhas e a requalificação do castro de Alvarelhos, a duplicação da linha do metro até à Trofa”, entre outros projectos que até agora ainda não saíram do papel, mas que o edil assumiu como metas a alcançar neste mandato.

 

CDU questiona executivo

 

A Coligação Democrática Unitária (CDU) entregou ao presidente da Assembleia Municipal dois requerimentos questionando a Câmara Municipal da Trofa sobre quias as diligências que a autarquia fez junto do governo para o colocar a par das necessidades mais prementes da Trofa.

No requerimento CDU questionou ainda a autarquia no sentido de saber se “houve aplicação das verbas inscritas nos dois últimos PIDDAC’s para a construção da Esquadra da PSP e qual a posição assumida pela Câmara junto do último governo perante o sucedido”, acrescentando ainda que quer ver esclarecidas “as medidas que tomou ou pretende tomar a Câmara junto do governo perante a proposta apresentada”.

A CDU vai mais longe e quer ver esclarecidas “as medidas que a autarquia tomou ou pretende tomar junto dos grupos parlamentares na Assembleia da Republica para lhes dar a conhecer a profunda injustiça que representa este PIDDAC”, concluiu.

Foi ainda apresentado um requerimento no qual a CDU pede esclarecimentos sobre o funcionamento da Empresa Municipal Trofáguas assim como dos contratos existentes, nomeadamente com a Indaqua- empresa responsável pelo abastecimento de água no concelho da Trofa.

Jaime Toga, eleito pela CDU para a Assembleia Municipal vai mais longe e quer saber, segundo o requerimento “quais os encargos com o quadro de pessoal, qual o sistema remuneratório do conselho de administração, aprovado em Assembleia Municipal no mandato passado, assim como se está prevista uma indemnização ao presidente do conselho de administração ou a outro membro da empresa”.

 

 

Vera Araújo

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização