“Com esta pandemia que a todos atinge, social e economicamente, decidiu-se que as obras do Centro Pastoral e Residência Paroquial de Santiago de Bougado vão aguardar mais um pouco até esta crise passar e os indicadores económicos do país e das famílias melhorarem”, explicou o conselho económico, que considera esta a decisão “mais sensata e prudente”.

“Entretanto, continuaremos a manter a situação financeira da paróquia de forma saudável, dentro do possível, e quando as condições permitirem começaremos as iniciativas de angariação de fundos”, explicou.

Quanto a este projeto, o conselho económico deu ainda conta do “parecer favorável e respetiva licença” por parte da Câmara Municipal para a empreitada. “O nosso arquiteto já concluiu o seu trabalho e continua acompanhar o gabinete de engenharia na conclusão do que falta”, acrescentou