jose moreira da silva 

Está a chegar o Natal. É uma época festiva que comemora o nascimento de Jesus Cristo! É um acontecimento religioso e socialmente muito importante para as religiões cristãs pois é encarado universalmente como o dia consagrado à reunião da família, à paz, à fraternidade e solidariedade entre os homens.

Nos países predominantemente cristãos, o Natal dos tempos actuais, transformou-se numa época mais rentável para os estabelecimentos comerciais, devido à troca de presentes entre família e amigos, feita por aqueles, cada vez menos, que ainda se podem dar ao luxo de ir às compras de Natal. É a esperança de salvação de muitos negócios, principalmente do comércio tradicional.

Muitos outros bem gostariam de estar nessas condições mas o infortúnio da vida não lhes permite. São cada vez mais os portugueses a viver em condições de miséria e que há muito perseguem dias melhores, mas que nunca mais chegam, sobretudo os desempregados e aqueles, que trabalhando, ganham salários muito baixos, mais aqueles, que tendo no passado trabalhado, usufruem, hoje em dia, pensões miseráveis. A miséria cresce todos os dias, cada um de nós conhece uma situação nova a cada dia que passa.

A pobreza, entendida como fenómeno resultante da escassez de recursos para fazer face às necessidades básicas e padrão de vida da sociedade actual, manifesta-se em Portugal, como um fenómeno com origem, tanto no tipo de desenvolvimento que o país conheceu, como no modo de adaptação ao rápido processo de modernização registado nas últimas décadas.

Os números da pobreza em Portugal são preocupantes. Mais de um quinto dos portugueses vivem ou estão em risco de viver em situação de pobreza. Entre os grupos de risco, mais propícios a caírem em situação de pobreza, estão os idosos e as famílias numerosas. O desemprego, salários muito baixos e pensões ainda mais miseráveis, colocam estes grupos em situações francamente difíceis.

Desempregados em Portugal são em número assustador. As estatísticas oficiais apontam para muito mais de meio milhão. A taxa de desemprego em Portugal superou a fasquia dos 10%. É um nível de desemprego recorde. Portugal surge como a quarta taxa de desemprego mais elevada, entre os países da Zona Euro. A taxa de desemprego entre mulheres, está agora perto dos 11% e nos homens perto de 10%. Os jovens continuam a ser os mais afectados pelo flagelo do desemprego. A taxa de desemprego entre os que têm menos de 25 anos já está perto dos 20%.

Por tudo isto, Portugal possui dos mais altos valores à escala Europeia no que respeita aos indicadores de pobreza e assimetria de rendimentos. É um dos países mais pobres da União Europeia, existindo mais de 2 milhões de pessoas que vivem abaixo do limiar da pobreza; na sua maioria no Norte. Dos mais de 2 milhões de pobres em Portugal, perto de seiscentos mil são trabalhadores por conta de outrém; mais de trezentos mil são crianças e mais de seiscentos mil são reformados. Os portugueses continuam a empobrecer e são cada vez mais aqueles que recorrem às Associações de Solidariedade Social para receberem géneros alimentares, roupa e medicamentos.

Para todos, um Natal possível e com Esperança!

José Maria Moreira da Silva

moreira.da.silva@sapo.pt