O escalão de iniciados é um dos mais exigentes, por obrigar à especialização dos atletas dentro das quatro linhas. Atletas das equipas A e B do Trofense não escondem satisfação por defender as cores do clube.

A resposta de Alex à questão “Numa palavra, o que é o futebol?” saiu determinada: “Tudo”. O atleta, de 13 anos, que está na equipa B de iniciados do Clube Desportivo Trofense, não esconde o contentamento que sente ao envergar esta camisola. O mesmo se pode dizer de Tiago Lima, 13 anos, que afirmou que o futebol “é um espectáculo”. Para além de “criativo”, “fantástico” e de proporcionar “uma sensação espectacular”, o desporto rei pode também ser uma fonte de “liberdade”. Estas foram as respostas dadas por outros jogadores, que estão em iniciados pelo primeiro ano.

Carlos Ferraz é o treinador desta equipa “muito ambiciosa” e que “procura sempre fazer tudo para atingir a vitória”. O técnico, que acompanha estes jovens desde Agosto, afirmou ao NT que, apesar de estar neste escalão pela primeira vez, o grupo tem “uma extrema maturidade”, porque “sabe muito bem aquilo que faz e interpreta aquilo que lhe é pedido”.

A ambição é palavra de ordem para estes jovens, que “querem sempre ser melhores”, atitude que Carlos Ferraz considera ser “muito positiva”.

Ligado à área da Educação, o treinador está “muito habituado” a lidar com jovens destas idades. Para Carlos Ferraz, a função da equipa técnica “é tentar fazê-los ver o que é importante para o crescimento, tanto pessoal como desportivo”. Com estes ingredientes, constitui-se assim “um desafio muito aliciante”.

“Nós não estamos só preocupados se vão ser o Ronaldo ou outros jogadores, mas sim que sejam uns bons homens no futuro, que tenham uma capacidade de trabalho muito grande e um espírito crítico sobre aquilo que fazem”, explicou.

No domingo, esta equipa goleou a Mocidade Sangemil, por 4-0, vincando a sua liderança no campeonato. Com 31 pontos, o grupo mantém-se invencível, tendo concedido apenas um empate, e apresenta um goal average impressionante, com 71 golos marcados e apenas cinco sofridos.

Equipa A quebra “barreira da especialização”

São 25 os jogadores que compõem o grupo de iniciados A do Trofense. A temporada não começou bem para estes atletas, que ocupam o 7º lugar, com 21 pontos. No domingo, não evitaram o desaire com o Freamunde, por 2-4, mas o treinador António Barbosa acredita que “com o tempo podem melhorar e conseguir atingir o objectivo”. Este escalão quebra a “barreira da especialização”, ou seja, é nesta altura que os jovens “começam a jogar de uma forma mais regular numa só posição”, desenvolvendo-se assim “as características específicas” exigidas para cada lugar no campo.

“Eles começam a perceber onde querem chegar, porque são jogadores inteligentes e cada um deles pode ser uma mais-valia para a equipa”, afiançou.