Os novos corpos sociais da Associação Empresarial do Baixo Ave tomaram posse durante a cerimónia que inaugurou o novo auditório.

O novo auditório da Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA) abriu as portas pela primeira vez para acolher a cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais, eleitos a 5 de maio. A única lista proposta para votos foi encabeçada por Manuel Pontes, reconduzido como presidente da direção, e que anunciou vários projetos para o futuro. “Acreditámos que o futuro passa pela inovação, pela modernização como forma de vencer a enorme batalha da competitividade. Para ajudar as empresas a ultrapassar a atual conjuntura económica, a AEBA tem assumido, e deve continuar a assumir, cada vez mais, um papel de relevo, por isso, além dos projetos de formação e consultadoria que temos ativos, vamos avançar, a muito curto prazo, com um projeto de incubação empresarial”, anunciou durante o discurso. Manuel Pontes deixou a promessa de “determinação e compromisso com o trabalho, rigor, competência, eficiência, honestidade e também simpatia”.

Mas o futuro é também sinónimo de desafios: “Queremos aumentar o número de associados, a notoriedade da AEBA na região e, ao mesmo tempo, diversificar os serviços de apoio às empresas”. “O caminho a seguir passa pela cooperação estreita entre empresas para que a região do Baixo Ave tenha uma voz mais forte e se afirme no panorama nacional e também internacional”, alertou o presidente da direção da AEBA.

Os órgãos sociais eleitos contam com representantes de várias empresas de diferentes setores de atividade, como o têxtil, as energias renováveis, a metalomecânica, as telecomunicações ou a indústria farmacêutica. José Manuel Fernandes e Luís Portela continuaram à frente do Conselho Fiscal e da Assembleia-geral, respetivamente.

“Fico muito satisfeito ao ver que se conseguiu reunir este elenco de luxo, representadas muitas das grandes empresas desta região, por gente de grande capacidade empresarial. Felicito o senhor Pontes e aqueles que contribuíram para esta realidade e é minha convicção que, de facto, neste mandato, a AEBA vai dar um salto qualitativo e, sobretudo, preparar condições para que esta geração, que agora está aí em força, tome definitivamente em suas mãos o futuro da associação”, referiu o presidente da Assembleia-geral. Luís Portela anunciou, ainda, que este será o seu último mandato à frente dos desígnios da associação.

Joana Lima, presidente da Câmara Municipal da Trofa, também marcou presença na cerimónia. A autarca evidenciou a necessidade de continuar o trabalho desenvolvido até agora: “A AEBA e estes novos órgãos sociais empossados têm muito a oferecer não só à Trofa e aos concelhos vizinhos, mas principalmente a Portugal, e sei que estarão à altura deste desafio e desta responsabilidade”. “A AEBA está atualmente dotada de excelentes infraestruturas e valências de apoio e incentivo abertos e favoráveis, quer ao investimento exterior, quer às novas tecnologias, favorecendo e promovendo a excelência tecnológica e científica e a criatividade empresarial”, elogiou a autarca.

Joana Lima recordou ainda o projeto para a Área de Localização Empresarial da Trofa, que será “uma realidade a muito breve prazo”.

Para além de vários associados e formandos da AEBA, a cerimónia contou ainda com a presença de várias entidades locais e regionais.

A AEBA foi constituída a 12 de abril de 2000 por um conjunto de 17 empresários e atualmente reúne mais de 500 empresas e o seu volume de negócios ascendeu, em 2010, a cerca de dois milhões de euros.

O novo auditório “vai ser posto ao serviço da população”, garantiu Manuel Pontes, ressalvando que essa utilização terá um custo, para “amortizar o custo das obras”.

 

{fcomment}