workshop-novo-mundo-12

Cerca de 50 mulheres quiseram aprender mais sobre artes decorativas e participaram na aula interactiva promovida pela Papelaria Novo Mundo. No mercado há 46 anos, a empresa comemorou o sétimo aniversário das novas instalações.

Para os amantes das belas-artes e artes manuais decorreu, no passado sábado, uma aula interactiva na Papelaria Novo Mundo, inserida nas comemorações do sétimo aniversário da mudança de instalações da empresa com já 46 anos, agora situada no Largo do Cruzeiro, na Trofa.

Pintura acrílica e a óleo, decoupage, técnica do guardanapo, escultura e pintura em madeira, tecido e vitral foram as técnicas ensinadas no workshop, destinada a  amadores, pessoal docente e profissionais da área de ensino e que contou com a participação de formadoras especializadas na área. “É uma área de artes decorativas ligada às belas-artes, em que podemos juntar as duas, trabalhar com as tintas acrílicas e as texturas com que trabalhamos nas belas-artes e adequá-las às artes decorativas, ou seja, utilizarmos um suporte como plástico, um prato ou uma caixa de madeira e transfomá-lo com esses mesmos produtos”, explicou ao NT a formadora Fátima Amado.

Foram cerca de cinco dezenas de mulheres que se juntaram no espaço e que atentamente foram tomando notas durante as várias demonstrações do workshop. O público, integralmente feminino, mostrou-se bastante interessado e participativo, visível nas muitas questões colocadas. De acordo com Joaquim Soares, proprietário da Papelaria Novo Mundo, esta acção, que conta já com várias edições, tem atraído cada vez mais pessoas. “O objectivo é dar a conhecer novas técnicas às pessoas, informá-las dos nossos produtos e dar-lhes a oportunidade de conhecerem novos materiais”, adiantou o responsável. Sobre a evolução da empresa que já possui 46 anos de actividade, Joaquim Soares faz um balanço positivo, para o qual contribuiram os esforços por parte da empresa de apostar na “inovação” e no encontro de “alternativas”, face à actual situação “difícil”. É pela “qualidade e diversidade dos produtos” que a Papelaria Novo Mundo se diferencia das restantes, garante Joaquim Soares. Mas a aposta na melhoria contínua do serviço tem sido uma preocupação constante da empresa. Exemplo disso foi a mudança de instalações, há sete anos, para um espaço maior, agora localizado no Largo do Cruzeiro. “Na Rua Conde S. Bento a loja tornou-se pequena, não conseguíamos satisfazer os pedidos dos nossos clientes, então tivemos que optar por um espaço maior”, explicou.

Fundada há 46 anos, a Papelaria Novo Mundo dedica-se ao comércio por grosso e retalho de artigos de papelaria, informática, consumíveis de escritório, assim como papéis especiais para impressão e tintas para belas-artes, tecidos, cerâmica, vitral e trabalhos manuais.