assems.tiago.JPG

 

 

 

 

 

A Assembleia de Freguesia de Santiago de Bougado reuniu, na passada sexta-feira em reunião ordinária, nas novas instalações do auditório.

José Gregório , sem que nada o fizesse prever, apresentou a suspensão de mandato, invocando como motivo “coerência para com os meus ideais”, não adiantando mais pormenores, abandonando a sala em seguida.

Recorrendo às novas tecnologias de informação e comunicação o presidente da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado fez a apresentação das obras realizadas pelo seu executivo através de uma apresentação em powerpoint para, segundo António Azevedo “possibilitar o acompanhamento e uma melhor compreensão aos bougadenses presentes nas reuniões”.

Jerónimo Torres, do PS, sugeriu que as convocatórias para as Assembleias de Freguesia passem a ser publicadas na imprensa local para que a s pessoas tomem conhecimento da sua realização.

Questões importantes como as obras de abastecimento de água e saneamento, o ponto da situação do Centro Social Paroquial de Santiago, a construção da Capela Mortuária e o Centro de Dia foram algumas das questões colocadas ao executivo. Também o social-democrata Filipe Couto Reis também quis saber qual o ponto de situação relativamente ao Centro Social. A deputada socialista Irene questionou o executivo sobre a habitação social. A socialista quer saber quantas famílias de Santiago de Bougado foram contempladas com as habitações e quais os critérios utilizados para a atribuição.

Em resposta o presidente, António Azevedo, garantiu que vai pedir informações à Câmara Municipal sobre esta matéria.

Ainda no decorrer da Assembleia António Azevedo apresentou o inventário de bens, propriedade da Junta de Freguesia e enumerou as obras realizadas e a realizar, assim como deu conta da situação financeira do Junta.

Já passava da meia-noite quando Manuel Carneiro, presidente da Assembleia de Freguesia deu por encerrados os trabalhos.