quant
Fique ligado

Edição 654

NO PÓ DOS ARQUIVOS

Publicado

em

– Vossemecê dá licença?
– A licença é passada em Janeiro! Também para usar o isqueiro nos espaços públicos…

Decreto-lei n.º 28 219, de 24 de Novembro de 1937:
Artigo 1.º É proibido o uso ou simples detenção de acendedores ou isqueiros que estejam em condições de funcionar quando os seus portadores não se achem munidos da licença fiscal.
§ 1.º Os infractores serão punidos com a multa de 250$00, além da perda dos acendedores ou isqueiros, que serão apreendidos, salvo as excepções consignadas no presente decreto.
§ 2.º O disposto neste artigo e parágrafo anterior não é aplicável aos estabelecimentos comerciais ou industriais.
§ 4.º Das multas pertencerão 70 por cento ao Estado e 30 por cento ao autuante ou participante. Havendo denunciante, pertencerá a este metade da parte que pertence ao autuante,
Artigo 2.º Se o delinquente for funcionário do Estado, civil ou militar, ou dos corpos administrativos, a multa será elevada ao dobro, devendo ainda ser comunicado o delito fiscal à entidade que sobre ele tiver competência disciplinar, pelo chefe da secção de finanças, para lhe ser instaurado o competente processo.
Taxa da licença:
A passar desde 1 de Janeiro com validade até 31 de Dezembro … 50$00
A passar desde 1 de Julho com validade até 31 de Dezembro ……30$00


Por força do Decreto-Lei, em parte acima transcrito, apenas podia ser usado livremente o isqueiro dentro de casa, “debaixo de telha”, como era vulgarmente conhecida a licença . Noutras circunstâncias, estávamos sob a mira dos “fiscais dos isqueiros”, que nos levavam o isqueiro e lavravam o auto para envio à respectiva secção de finanças. Não nos livrávamos do pagamento da multa. E que pesada! Mais pesada seria ainda se o infractor fosse funcionário público: pagava o dobro da multa, incorria em processo disciplinar e era considerado “delinquente”.
Pretendia o governo, com esta medida, dissuadir o uso do isqueiro na via pública e, assim, proteger a Sociedade Nacional de Fósforos. A indústria fosforeira tinha um papel considerável na economia nacional: empregava centenas de pessoas, movimentava milhares de contos e utilizava matérias nacionais (madeira, cera, cartão e papel).
A rapaziada de Coimbra, sempre atreita a dar largas à sua irreverência, não deixou de criticar o ridículo da lei, incomodando as autoridades e causando gáudio aos transeuntes. Se pretendia fumar na avenida, sacava um pedaço de telha escondida debaixo da capa, colocava-a sobre a cabeça, e depois acendia o isqueiro, “debaixo de telha”.
O Decreto-lei n.º 237/70, de 25 de Maio de 1970, mandou abolir a taxa de licença de uso ou detenção de acendedores e isqueiros:
Imposto do selo Atrigo 5.º – É abolida a taxa de licença de uso ou detenção de acendedores ou isqueiros estabelecida no artigo 41.º, § 1.º, do Regulamento do Imposto do Selo, e artigo 105.º, da verba XII, da respectiva tabela e Decreto-Lei 28219, de 24 de Novembro de 1937.

Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 654

Campo de treino para guarda-redes (C/Vídeo)

Publicado

em

Por

É a terceira vez que o departamento de formação do Clube Desportivo Trofense proporciona uma experiência diferente do habitual aos guarda-redes, com um campo de treino exclusivo para quem está à baliza. E para motivar ainda mais os jovens, houve convidado especial. António Ferreira, treinador de guarda-redes do Shakhtar Donetsk, esteve no complexo desportivo de Paradela para partilhar alguns dos conhecimentos adquiridos ao longo da carreira.
“Eu sei o quanto os jogadores valorizam isto na juventude, quando veem figuras que são referências para eles”, explicou o profissional, que atualmente integra a equipa técnica do clube ucraniano, juntamente com Paulo Fonseca.
“Mostrar como se prepara um jogo ao alto nível” foi o principal objetivo desta edição da iniciativa denominada “Defender +”. Daniel Araújo, coordenador de guarda-redes do Clube Desportivo Trofense explicou ainda que os jovens aprenderam os atributos que separam os bons dos maus guarda-redes. “A inteligência é o atributo mais importante. Um guarda-redes tem que ser capaz de perceber o jogo e orientar os colegas sem ter que estar a relatar”, explicou.
Por sua vez, António Ferreira destacou a importância da desvalorização da ideia de que “um guarda-redes para ser bom tem que ser maluco”. “Um bom guarda-redes é inteligente e tranquilo, porque normalmente vive situações de pânico, em que tem que conseguir raciocinar e encontrar solução”, sublinhou.
E numa posição tão sensível como é a de guarda-redes, o controlo emocional é um dos aspetos a ter em conta na preparação do jogador. “É importante a criação de um grupo coeso entre os guarda-redes da equipa. O aspeto psicológico que mais trabalhamos é a entreajuda e a capacidade de superação”, referiu Daniel Araújo.
Esta é uma das atividades que decorrem no clube durante a quadra festiva. Já no dia 27 de dezembro, decorreu uma palestra sobre a importância do treino invisível no futebol, que contou com plateia numerosa no Fórum Trofa XXI e que contou com a presença de André Carvalho e Luís Carvalho, médicos do CD Trofense, Pedro Silva, psicólogo, e Raquel Silva, nutricionista.

Continuar a ler...

Edição 654

400 no corta-mato escolar do Agrupamento da Trofa

Publicado

em

Por

O Agrupamento de Escolas da Trofa voltou a promover o corta-mato escolar, no final do 1.º período de aulas. A atividade contou com a participação de “400 alunos” e decorreu em simultâneo na Escola Básica Napoleão Sousa Marques e na Escola Secundária, “num ambiente saudável, em que os participantes evidenciaram empenho, alegria e um excelente comportamento”, avançou fonte da organização.
No final, os seis primeiros classificados de cada escalão etário/género foram apurados para o corta-mato escolar distrital, que tem lugar este mês, e que é organizado pela Direção do Desporto Escolar – Região Norte.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);