“Divergências” com a direção do Bougadense fizeram com que António Costa e Pedro Sá, da secção de atletismo, “batessem com a porta” no clube e tomassem a iniciativa de criar um projeto autónomo. Foi assim que nasceu a Escola de Atletismo da Trofa (EAT), que se pretende afirmar como estandarte da modalidade no concelho. “Quando a secção de atletismo nasceu no Bougadense, ficou acordado que o clube inscrevia a equipa e cedia-nos as instalações e que os subsídios relativos à modalidade ficariam para o clube, em virtude dessas despesas. No primeiro ano tudo correu bem, mas no segundo disseram-nos que já não havia dinheiro para inscrever a equipa. A verba do subsídio da Câmara que nos cabia para fazer face à inscrição não nos foi entregue e outras verbas que seriam para o atletismo foram para o futebol. Foi então que decidimos arrancar com um projeto só nosso”, explicou Pedro Sá.
Contactado pelo NT, Hilário Duque confirmou ao NT que o Bougadense vai deixar de ter secção de atletismo, mas sobre as “divergências” com os responsáveis da modalidade não quis tecer qualquer comentário.
Entretanto, o início da atividade da Escola de Atletismo está previsto para “setembro”, com treinos na zona envolvente ao Edifício Nova Trofa, em Bougado. No futuro, os responsáveis pretendem celebrar um protocolo de utilização de espaço “numa escola ou pavilhão”.
Os responsáveis da EAT confiam que os cerca de 30 atletas que representavam o Bougadense – e que representarão até outubro, altura do defeso da modalidade – vão acompanhá-los. “Já estão connosco há cinco anos, já desde a altura em que estávamos na ACR Vigorosa”, sublinhou Pedro Sá. No entanto, todos os interessados em ingressar na Escola podem fazê-lo. “Basta contactar-nos através dos meios que disponibilizaremos nas escolas e locais públicos”, explicou.
“Continuar a formar atletas e representar o concelho” são os principais objetivos do projeto. António Costa atesta a qualidade reconhecida ao trabalho desenvolvido: “No Metting da Maia, evento muito divulgado, tivemos atletas que foram convidados a participar”. Pedro Sá complementou com o facto de terem conseguido fazer do Bougadense “o único clube da Trofa a competir como equipa em apuramentos nacionais em pista coberta”.