Membro da CDU Trofa, já teve assento na Assembleia Municipal. Nas últimas eleições autárquicas não foi reeleito e agora acompanha de fora o que se passa no concelho. Um ano depois da tomada de posse do executivo socialista, Paulo Queirós fala do que foi, do que não foi e do que devia ter sido feito.

“Todos estávamos conscientes de que neste primeiro ano depois da entrada do novo executivo na Câmara Municipal da Trofa não seria fácil apresentar grandes obras”.

Esta é a primeira certeza de Paulo Queirós, membro da CDU Trofa, quando faz a análise ao primeiro ano de mandato do executivo de Joana Lima. A questão orçamental e as dívidas que transitaram do mandato anterior “vieram dar alguma desculpa para que mais nada pudesse ser feito”, refere este trofense, sem deixar de apontar que a única “grande decisão deste executivo foi a localização dos Paços do Concelho” e que esta tem o desacordo da CDU.

Pode ler a entrevista na íntegra na edição desta semana d’O Notícias da Trofa, já nas bancas.