Os montes de espigas de milho no Largo da Serra, na freguesia do Muro chamavam a atenção de quem passava na EN14, no passado sábado, para a desfolhada.  O evento organizado pela Junta de freguesia contou com a presença de pequenos e graúdos que reviveram tradições.

“É um evento do povo do Muro, uma tradição cultural dos nossos ancestrais, organizado pelo pelouro da Cultura da Junta de Freguesia do Muro”. Foi desta forma que Carlos Martins, presidente da Junta de freguesia descreveu a terceira edição da desfolhada à moda antiga.

Este ano o evento contou com a participação especial dos utentes da instituição Muro de Abrigo que para além de terem dado uma “mãozinha” para a desfolhada das espigas de milho fizeram-no a rigor, com os trajes de antigamente.

Já na terceira edição o objectivo da Junta é “reavivar as memórias, porque muitas crianças não sabem o que é uma espiga, o que é o milho e não sabem o que é a desfolhada. Este evento é também importante para as pessoas mais antigas da freguesia para poderem reviver os tempos passados daquilo que era um trabalho comum e hoje é uma tradição”, afirmou.

Satisfeito com afluência dos murenses à iniciativa, Carlos Martins garantiu que “esta é uma tradição para continuar, porque também este Largo da Serra também tem uma tradição muito antiga de convívio entre as pessoas, por isso é que também trouxemos este evento para aqui”, porque “as despesas que temos aqui são quase nulas, já que as pessoas trazem o vinho e as carnes, o milho é oferecido e somos nós que o vamos ceifar”, acrescentou.

Quanto a outros projectos da Junta de Freguesia para este ano, Carlos Martins frisou a conclusão da instalação das redes de água e saneamento, “um investimento avultado da Câmara Municipal da nossa terra”. Apesar do edil estar “dependente das” verbas enviadas pela Câmara, está previsto ainda “o alargamento da Escola EB1, com ATL e Biblioteca, e ainda um conjunto de ruas para repavimentar e revitalizar uns terrenos públicos com parque infantil e relvados”, concluiu.

Isabel Moreira Pereira

António Costa