O seleccionador português de futebol, Carlos Queiroz, defendeu hoje a importância da candidatura de Portugal e Espanha para a organização do campeonato do Mundo de 2018, e realçou a importância da formação de jogadores jovens.

    Carlos Queiroz falou aos jornalistas no intervalo do jogo entre o Trofense e o Paços de Ferreira, da 15ª jornada da Primeira Liga, na Trofa, antes de rumar a Braga para assistir ao confronto entre o Sporting de Braga e o FC Porto.

    Questionado sobre a candidatura de Portugal e Espanha à organização do Mundial de 2018, o seleccionador luso reconheceu que a “concorrência é forte”, mas apelidou esta candidatura de “muito importante para o país”, desdramatizando algumas polémicas que têm surgido.


 “Quando iniciamos o processo de candidatura para 2004, também parecia que estávamos a palmilhar o terreno a pouco e pouco e depois conseguimos. A organização do mundial é muito importante para Portugal. Espero que traga ao país aquilo que precisamos e que signifique desenvolvimento social, turístico e económico”, disse Carlos Queiroz.

    Sobre o trabalho que tem vindo a realizar na selecção portuguesa, o técnico disse apenas que a “preparação dos próximos tem corrido bem”, destacando o trabalho que tem feito junto das selecções mais jovens.

    “Penso que é muito importante dar oportunidade aos mais novos. Já comecei a fazer alterações nas rotinas da selecção de sub-21 e sub-19, penso que a formação é muito importante e quero apostar, cada vez mais, em jovens atletas”, afirmou Queiroz.

O seleccionador português de futebol, Carlos Queiroz, voltou hoje a elogiar o avançado brasileiro Liedson, do Sporting, considerando um absurdo não “contar com ele” no futuro.

    “O Liedson é um ponta-de-lança importante que tem mostrado muitos bons pormenores. Seria um absurdo não pensar nele, mas nem o seleccionador nem os treinadores devem andar atrás dos jogadores a pedir para eles representarem mo pais”, disse Carlos Queiroz.

    Por fim, o seleccionador deixou um elogio a Cristiano Ronaldo, considerando que os prémios recebidos pelo internacional português são “importantes para o futebol português” porque “porque reconhecem o mérito dos jogadores portugueses”.