A multinacional alemã Schnellecke abriu um escritório na Trofa para estar mais próxima dos clientes da região Norte.

A Trofa foi a cidade escolhida pela Schnellecke Portugal para abrir a delegação norte no País. O gabinete técnico, que visa aproximar geograficamente a empresa do tecido industrial da região, foi inaugurado oficialmente por alguns representantes do grupo alemão. A operar há dez anos em Portugal, a Schnellecke viu a intenção de criar uma delegação no Norte consertada com a recente parceria com a empresa Continental.

“Foi um compromisso que assumimos com o nosso principal cliente na Região Norte, para estarmos mais próximos e podermos dar mais respostas. Para além disso, entendemos que a Trofa, pela localização geográfica, corresponde àquilo que gostaríamos de ter neste raio de ação, pois a partir daqui podemos contactar com a região”, explicou Fernando Oliva, diretor-geral da Schnellecke, acrescentando: “A delegação norte permite-nos dar uma resposta muito mais rápida aos clientes. Podemos estudar, propor e desenvolver um projeto logístico complexo diretamente no nosso gabinete técnico na Trofa ou nas instalações do cliente. Acreditamos que estamos no caminho certo para aumentar o valor acrescentado dos nossos clientes na região”.

A já “estreita” ligação entre o grupo alemão e a Continental obrigou à aquisição de um armazém de “dez mil metros quadrados” em Esmeriz, Vila Nova de Famalicão, numa “operação” que demorou “menos de uma semana”. A chegada de uma nova empresa no concelho é vista com bons olhos, pela dinâmica que pode trazer ao setor industrial como pela criação de emprego. Joana Lima, presidente da Câmara Municipal, afirmou que “é muito importante ter uma empresa com esta dimensão, pois demonstra que a Trofa é um sítio estratégico do ponto de vista logístico”.

O escritório da Schnellecke tem “três pessoas em permanência”, o responsável da delegação, o engenheiro de processo e a assistente administrativa. “Até 30 de junho, foram criados 63 postos de trabalho e mesmo com a retração económica a previsão é de ter mais dez por cento que o ano passado”, afirmou Fernando Oliva. 

A Schnellecke, operadora logística de serviços integrados da indústria automóvel, que conta com 700 colaboradores, prevê criar 300 postos de trabalho em Portugal até 2014. O grupo conta com 45 empresas distribuídas pelo mundo e mais de 14 colaboradores. Com uma faturação de 632 milhões de euros, pretende tornar-se líder mundial na área de atuação.

{fcomment}