Estão concluídas as obras de preservação e valorização da Igreja do Mosteiro de Landim, um dos exemplares mais ricos e emblemáticos do estilo românico do concelho de Vila Nova de Famalicão e do Entre-Douro e Minho, classificado como imóvel de interesse público desde 1996.

mosteirolandim.gifA requalificação da igreja do mosteiro e zona envolvente implicou um investimento total de 602 mil euros, verba resultante de uma parceria entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o Ministério da Cultura (através da Direcção Regional dos Edifícios e Monumentos Nacionais do Norte) e a Fábrica da Igreja Paroquial de Santa Maria de Landim, tendo cada um destes organismos comparticipado com 70 mil euros, sendo a verba restante (392 mil euros) garantida por fundos comunitários.

A empreitada envolveu um conjunto de obras diversas, tendo em vista a conservação e valorização geral do imóvel. Assim, foram efectuadas obras de conservação da torre sineira, com a limpeza da pedra e instalação de um sistema electrostático anti-pombos. Para além da instalação eléctrica foram ainda intervencionadas as coberturas da igreja, com a substituição da telha, e tratados os pavimentos e os tectos.

Procedeu-se também à requalificação urbanística dos espaços exteriores com a pavimentação da Alameda do Mosteiro, a regularização de águas pluviais, a plantação de árvores e colocação de relva. Isto, para além da instalação de iluminação pública, com colunas verticais e projectores de solo direccionados para o Mosteiro.

No que diz respeito a obras de conservação e restauro, foi tratado todo o património azulejar, os retábulos da nave lateral, da capela-mor e do arco do cruzeiro. Aqui, o restauro envolveu também a talha. Foram restaurados os elementos decorativos do coro alto e pintados os anjos músicos e os murais.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Armindo Costa, mostrou-se muito satisfeito com a conclusão das obras de recuperação "deste imóvel de grande valor cultural e patrimonial para o concelho". "Quando chegámos à Câmara Municipal, em 2002, a Igreja do Mosteiro de Landim encontrava-se num avançado estado de degradação, em consequência das infiltrações de humidade e outros problemas no edifício", lembra a propósito Armindo Costa. E acrescenta: "Depois de vários anos de luta junto dos organismos oficiais, conseguimos finalmente concretizar o desejo de dignificar e valorizar este património que é de todos os famalicenses."