Os candidatos do CDS-PP às próximas eleições legislativas estiveram na Feira Semanal da Trofa, onde contactaram com a população e apresentaram as propostas do partido para o país e para o concelho.

A azáfama das pessoas que percorriam os estreitos corredores de bancas na Feira Semanal de sábado à procura do melhor preço ficou marcada pela presença da comitiva do CDS-PP, que esteve na Trofa para dar a conhecer as propostas populares para a próxima legislatura. Mas se os trofenses encontravam vestuário e calçado a menos de cinco euros, as notícias sobre o futuro do concelho não foram tão animadoras.

“Conhecemos bem os problemas que advêm da supressão do comboio e da não construção da linha na Trofa, mas também sabemos que, neste momento, o país está numa situação de aperto financeiro, embora isso não seja suficiente para os trofenses desculparem os políticos que mentiram e que lhes prometeram uma coisa que não lhes deram”, acusou Michael Seufert, quarto na lista de candidatos populares, pelo círculo eleitoral do Porto, nas legislativas 2011. O centrista sublinhou que este é, “sem dúvida, um momento de aperto financeiro”, sendo necessário “um maior cuidado na gestão do erário público”. Michael Seufert relembrou também que “o estudo e a elaboração da plataforma logística não tem avançado”, sem no entanto dar garantias da construção destas obras no caso do CDS-PP vencer as eleições.

“De corpo e alma na campanha”, Renato Pinto Ribeiro, presidente da Comissão Política Concelhia do CDS Trofa, foi mais longe nos desígnios sobre o futuro do concelho: “O prolongamento da linha do metro e a construção das variantes são para esquecer”. Não vale a pena estar com ilusões, nos próximos dez anos não vamos ter metro nem variantes. Quando muito, vai ser concretizada a requalificação dos parques, mas estou para ver, uma vez que a apresentação dessa obra já foi há alguns meses e até hoje estamos na mesma”, reiterou.

Pinto Ribeiro recordou ainda que o concelho continua “sem a apresentação do Plano Diretor Municipal (PDM)”. “Recordo-me que, no último mandato, estive na Assembleia Municipal como membro do grupo municipal do CDS/PP e em cada sessão, o Partido Socialista vinha quase sempre dizer que o presidente da Câmara da altura possuía o PDM no cofre, mas, agora, onde está esse documento?”

A comitiva que acompanhou os deputados contava com muitos militantes e simpatizantes trofenses, que quiseram participar nesta atividade de pré-campanha. O grupo foi “bem recebido”, como fez notar Michael Seufert. “Foi uma receção muito simpática, com muita gente a acompanhar-nos. Esta é uma campanha muito jovem e nós estamos todos os dias na rua, em contacto com as pessoas. Notámos, sobretudo, muita preocupação sobre o país atual e aquilo que aí vem”, acrescentou.

As eleições legislativas estão agendadas para 5 de junho e o CDS quer mostrar aos portugueses que pode ser “uma alternativa” no atual cenário político português.

 

{fcomment}