deputadospsd

O deputado do PSD Jorge Costa garantiu hoje que o seu partido vai questionar o Governo sobre a extensão do metro do Porto à Trofa e a variante à EN14, desafiando a autarquia local “a assumir responsabilidades”.

Numa conferência de imprensa realizada após a visita dos deputados do PSD, eleitos pelo círculo do Porto, ao concelho da Trofa, e que teve como pano de fundo as acessibilidades do concelho, o deputado Jorge Costa afirmou que os requerimentos necessários serão preparados “para logo no início de setembro o PSD questionar o Governo” sobre o processo da extensão da linha do metro do Porto à Trofa e sobre a construção da variante à EN14.

Segundo os deputados sociais democratas e o presidente da concelhia do PSD/Trofa, Sérgio Humberto, estas são duas obras fundamentais para a acessibilidade do concelho, cujos processos têm sofrido sucessivos atrasos e constantes promessas, quer do poder central quer do poder local, ambos socialistas.

“O desafio que deixamos é que a Câmara da Trofa defenda as suas responsabilidades e assuma, perante a população, os compromissos relativamente às obras que quer de facto executar”, disse o deputado.

Acrescentou ainda que o PSD “assistiu a promessas em período de campanha eleitoral que depois não foram devidamente concretizadas e que dificilmente poderão vir a sê-lo”.

Segundo Jorge Costa “o PSD estará atento, vigilante e exigirá a assunção de responsabilidades por parte daqueles que as têm do ponto de vista autárquico”, considerando que “a Trofa precisa de afirmar um posicionamento estratégico e uma estratégia de desenvolvimento” para o concelho.

Para o presidente da concelhia do PSD da Trofa, Sérgio Humberto, o anúncio do alargamento da linha do Metro do Porto à Trofa – feito pela então secretária de Estado Ana Paula Vitorino a 5 de setembro de 2009 – foi “uma manobra pré-eleitoral” em tempo de campanha.

O responsável solicita à presidente socialista da Câmara da Trofa, Joana Lima, que seja “clara e concisa” e diga quando é que o metro irá chegar ao concelho.

A Lusa contactou a Câmara da Trofa mas até agora não conseguiu obter qualquer esclarecimento.

LUSA

Reportagem alargada na próxima edição do NT, quinta-feira nas bancas.