O Governo «não cede às exigências da Junta Metropolitana do Porto (JMP) para a Metro», refere o Jornal de Notícias na edição de quarta-feira indicando que os trabalhos para a extensão do metro do Porto apenas avançarão em 2009.

Os autarcas vão ficar afastados do Conselho de Administração da empresa e a construção de novas ligações só avança no primeiro semestre de 2009, em concurso único.

Na resposta do ministro das Obras Públicas fica claro que a ligação a Rio Tinto (Gondomar) terá de esperar pelas restantes e que a da Boavista poderá ser substituída pela linha Senhora da Hora/Hospital de S. João. O PS/Porto aplaude a possibilidade. O PSD/Porto reclama a demissão de Mário Lino.

No documento a que o JN teve acesso, o Governo compromete-se a executar a extensão a Laborim (Gaia), a ligação à Venda Nova (Rio Tinto, Gondomar) e a linha directa de Campanhã a Gondomar. Sobre isto não há dúvidas. Já a linha da Boavista surge como alternativa à ligação Senhora da Hora/Hospital de S. João (via S. Mamede de Infesta). Só está previsto executar uma das duas e a decisão depende de um estudo comparativo.

A linha da Trofa também é para avançar, mas falta saber se em via única ou dupla. O Ministério das Obras Públicas diz que é preciso estudar para ver se se justifica gastar mais 27 milhões de euros na duplicação do troço.

Todas as ligações vão entrar no mesmo concurso, indepentemente dos processos para execução de algumas estarem atrasados. Note-se, por exemplo, que a Junta Metropolitana defende o arranque das obras de construção da linha entre o Estádio do Dragão e a Venda Nova no próximo mês de Novembro.

A resposta de Mário Lino à contraproposta da JMP, feita em 16 de Março, chegou, ontem, às mãos dos presidentes de câmaras. A maioria preferiu não comentar, mas as distritais do PS e PSD tomaram posição.

Também ontem de manhã, refere o JN, após uma primeira leitura do documento, Rui Rio, presidente da JMP, mostrou- se «muito preocupado» com a resposta do Governo, mas preferiu não aprofundar o conteúdo da carta do ministro.

O responsável da edilidade portuense deverá agendar uma reunião da Junta para a próxima semana, acrescenta a mesma fonte.