As mesas de voto na freguesia do Muro não abriram às 8 horas deste domingo, dia de eleições europeias. Nenhuma das dez pessoas escalonadas para preencher as duas mesas de voto na Junta de Freguesia apareceu. 
Segundo o presidente da Junta, Carlos Martins, esta é uma forma de reivindicar a construção da linha do Metro, prometida há mais de uma década – desde a desativação do comboio – e que vem sendo adiada pelo Governo. 
Esta forma de manifesto repete-se três anos depois, já que em 2011 a população do Muro também boicotou as presidenciais, em protesto pela não concretização da obra. A maior parte dos murenses sente que a freguesia “está isolada” e que está a ser prejudicada pelos executivos de Lisboa.
Cabe à Câmara Municipal recrutar, até às dez horas da manhã, pessoas para integrar as mesas de voto. Caso contrário, as eleições não se realizam este domingo e terão de ser remarcadas.