Select Page

Memórias e Histórias da Trofa: O primeiro mercado Dr. Oliveira Salazar do país

Memórias e Histórias da Trofa: O primeiro mercado Dr. Oliveira Salazar do país

O comum dos cidadãos trofenses certamente não irá saber, ou se calhar nem reparou, mas na freguesia de S. Mamede do Coronado, junto ao edifício da Junta de Freguesia, na praça onde decorre a habitual feira, tem inscrito: “Mercado Dr. Oliveira Salazar”.

Aquele espaço simples, no coração de S. Mamede do Coronado, trata-se do primeiro mercado inaugurado com o nome do futuro Presidente do Conselho à época ainda Ministro das Finanças em território nacional.

Um acontecimento na história do Vale do Coronado e na Trofa amplamente anunciado na imprensa naquele período histórico, colocando na imprensa o nome daquela freguesia.

Aquele espaço inaugurado naquele momento foi pago pela Junta de Freguesia com um importante investimento do Sr. Serafim Gomes Oliveira. Um importante contributo para o desenvolvimento daquela localidade, que tentava manter-se progressiva.

Não foi somente aquele o espaço inaugurado naquele dia, também o arruamento Agostinho Moreira de Assunção, que corre paralelo àquele equipamento, também era inaugurado, destacando aquela figura que era homenageada como grande benemérita para aquela freguesia.

Um momento de grande solenidade, com uma tribuna montada no centro da praça, com discursos de várias individualidades, desde o presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Santo Tirso, representantes do Governador Civil, ao que se seguiria uma atuação de uma banda de música e o rebentamento de foguetes.

Um importante dia de festa, júbilo pela inauguração do primeiro mercado em território do futuro concelho da Trofa, demonstrando o enorme dinamismo que se vivia em S. Mamede.

Terminada a festa no largo, acabariam as individualidades por rumarem até à habitação de Serafim Gomes de Oliveira, onde foram presenteadas, novamente, com discursos e um copo de água com grande solenidade.

Este episódio encontra-se, praticamente, esquecido e perdido na memória coletiva de todos que habitam ou moram naquela freguesia que pertence ao concelho da Trofa. Urge requalificar o espaço e dar novamente brio àquele que era um dos centros económicos da região.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização