A mostra conta com trabalhos produzidos nos últimos dez anos mas a maior parte deles são recentes. Organizada pelo município de Espinho em conjunto com a Galeria Zeller, a exposição reflete uma espécie de “crítica”, misturada com “ironia” e humor”. O reflexo das cores, as figuras, expressões e atitudes são alguns dos efeitos visuais que o visitante tem a oportunidade de apreciar.
Segundo o artista, para já o feedback é “bastante positivo”. “O espaço é muito bom”, afirmou, acrescentando que o primeiro dia da iniciativa juntou cerca de 100 pessoas.
Além da pintura, e integrado na inauguração, foi ainda promovida uma sessão única do vídeo PANGEA, apresentado pela primeira vez ao público. A obra “reflete o processo e os mesmos interesses temáticos” da pintura de Martinho Dias, tendo como material de base “postais turísticos, jornais e hinos nacionais”. “Entendi que seria uma forma através da qual podemos conhecer um país, mais do ponto de vista cultural, político e social”, explicou o autor acrescentando que “os jornais podem funcionar como uma espécie de retrato” mas também de auto retrato que “é aquilo que o país tenta mostrar de si próprio”. “Muitas das vezes, tal como nós, quando temos possibilidades de manipular a imagem de nós próprios também o país muitas das vezes acaba por manipular essa imagem”, disse.
Quanto à exposição que vai ficar patente no Museu Municipal de Espinho até ao dia 4 de abril, Martinho Dias afirmou estar “satisfeito” com o resultado. “Espero que as pessoas tenham oportunidade e interesse em visitar, penso que valerá a pena pelo número de trabalhos e tendo em conta que a maior parte deles são recentes”, concluiu.
A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 10 às 19 horas, e aos sábados das 11 às 13 horas e das 14.30 às 19 horas, encerrando aos domingos e feriados.