Guidões saiu à rua mais cedo para comemorar o S. João. As festas em honra do santo padroeiro decorrem na quinta e sexta-feira, mas as marchas já alegraram as ruas.

“A 24 de junho, o povo de Guidões celebra o seu padroeiro e alegra os corações. É o S. João Baptista que veio p’ra abençoar toda a nossa freguesia explode de alegria e foguetes pelo ar. Ó Póvoa, ai ó linda Póvoa, sai toda para a rua com arco e balão”. O lugar da Póvoa foi o primeiro a desfilar no centro da freguesia de Guidões. Na noite fria de sábado, o Outeiro foi o segundo a mostrar os trajes vistosos e as danças ensaiadas ao longo de meses: “Ó meu S. João, ó meu S. João, tu anda para a rua e traz um balão, ó meu S. João, ó meu S. João, tu anda para a rua, ó meu folião”. Seguiu-se o Cerro, que, literalmente, vestiu o brasão da freguesia para honrar o santo padroeiro: “S. João a noite é tua, vem para a rua ouvir cantar, vem dançar feliz, contente, na marcha da gente que é tão popular. S. João, a noite é tua, vem para a rua, p’ra reinação, sejas velho ou sejas novo, vem juntar-te ao povo, com arco e balão”. A Marcha da Primavera de Vilar levou a cor das flores às ruas de Guidões: “Vilar é lindo do coração, tudo fazemos com união, toda a aldeia se esmerou com esta marcha a S. João. Nós começamos esta marcha com amor, para dar à nossa aldeia este grande valor”. As gentes da Aldeia Nova e do Bicho foram as últimas a desfilar, mas nem por isso a vontade de cantar e dançar esmoreceu: “O Bicho e Aldeia Nova, da minha rua até à igreja, dançam com alegria, para que toda a gente nos veja. Venham todos ver a gente, que aqui ninguém relaxa, todos dançamos contentes por trazer a nossa marcha”. Os versos eram cantados com fervor e todos queriam que a marcha do seu lugar brilhasse.

Júlio Costa marchou pelo Cerro e estava contente com o desempenho do grupo: “Trabalhámos para isso e acho que correu tudo muito bem”. “Acho que estivemos todos ao mesmo nível e o que interessa é a noite e o tempo que passamos aqui. Nenhuma marcha é melhor que a outra, o objetivo é divertirmo-nos e animar a freguesia”, garantiu. O guidoense destacou ainda que “tinha muita gente a assistir” e que, por isso, a participação “valeu a pena”.

Mas se uns não destacam nenhuma das marchas, outros há que não escondem que são tendenciosos: “A melhor marcha da noite foi a do Lugar do Bicho e Aldeia Nova”. Esta foi a marcha em que Elisabete Marante desfilou e por isso não escondia o orgulho, até porque “os preparativos já começaram em outubro, com a venda de rifas e o peditório” e os ensaios duraram cerca de um mês.

“Correu muito bem, nós somos um grupo muito unido. Somos poucos, mas somos bons”, acrescentou. E ficou a mensagem para os conterrâneos: “Que participem todos nas marchas, porque é uma coisa muito boa”.

No fim da noite, a Comissão de Festas não podia estar mais contente com a prestação das marchas: “Foi fantástico”. “Valeu a pena todo o esforço durante um ano inteiro a trabalhar. Os seis elementos da Comissão de Festas funcionam como um todo”, acrescentou Paulo Abreu, um dos elementos da organização.

As festas continuam nos dias 23 e 24 de junho, mas Paulo Abreu não esperou pelo fim da romaria para fazer os agradecimentos: “Quero agradecer a toda a população, porque o apoio que nos deram foi essencial para conseguirmos organizar a festa”.

Bernardino Maia, presidente da Junta de Freguesia, não participou nas marchas, mas assistiu com entusiasmo a todas as atuações. “As marchas de Guidões são já uma referência em todo o concelho e não me surpreende que melhorem a cada ano”. “O povo guidoense é bairrista e muito unido e há sempre uma forma de cada um fazer melhor”, acrescentou. O edil destacou ainda a “moldura humana muito grande”. A Junta “tem apoiado sempre e de igual forma todas as marchas”, referiu.

Na noitada de S. João, os foliões vão ter a oportunidade de dançar e cantar com o artista popular Augusto Canário e os seus amigos. No dia 24, a procissão será o momento alto das celebrações.

{fcomment}