A lista encabeçada por Manuel Dias foi eleita na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa para o próximo biénio. O presidente foi reconduzido no cargo, assim como grande parte dos elementos que fizeram parte do mandato anterior.
Em assembleia eleitoral realizada a 7 de dezembro, Manuel Dias mostrou-se “muito agradado” com o voto de confiança demonstrado pelos 30 sócios que participaram no sufrágio à qual só uma lista concorreu. “Quando pensamos em renovar a nossa comissão por mais dois anos, tive sempre a convicção que não aparecia mais nenhuma lista, porque senti que a direção está a fazer um trabalho do agrado de toda a gente, dos bombeiros e das populações”, afirmou Manuel Dias, que também considera que “se aparecesse mais uma lista, seria bem-vinda”.

Depois da eleição, os órgãos sociais da Associação Humanitária prosseguiram com a apresentação e aprovação do orçamento e plano de atividades para 2017. Um dos principais objetivos é, segundo o presidente, aumentar o número de associados, que permitirá “uma redução de custos de serviços prestados à população”. “Temos quase seis mil sócios, mas precisamos de mais. Infelizmente, parece estar instituído que as pessoas só se lembram dos bombeiros quando precisam deles, mas quantos mais sócios tivermos, mais podemos valer à comunidade”, argumentou Manuel Dias.
Mas, a “primeira necessidade” a colmatar será “a aquisição de cacifos para os bombeiros”, numa despesa que pode chegar “aos 30 mil euros”. A isso poderá seguir-se a compra de equipamento para os efetivos, como “casacos de abafo” que, segundo Manuel Dias, foi proposta apresentada pelo comando.
Depois de, em 2016, conseguir uma “almofada financeira” para acorrer “a algum imprevisto ou fatalidade”, a direção prepara-se agora para “gastar mais dinheiro que em anos anteriores”, para executar obras na sede. Uma percentagem das verbas é proveniente de fundos comunitários, mas a restante terá de sair dos cofres da Associação. A este esforço crescente, junta-se o esforço para alcançar poupança, como é exemplo “a implementação de lâmpadas LED e aquisição de painéis solares” para reduzir na conta de energia elétrica.
Já na vertente cultural, é sabida a aposta desta direção no museu e biblioteca da Associação, que nos últimos meses tem contado com alguma dinâmica. Ainda assim, defende Manuel Dias, é necessário “chamar a população” a visitar estas valências. “Infelizmente, as pessoas da Trofa dão pouca importância a estas coisas, mas tenho a certeza que se viessem cá, iam ficar surpreendidas com a riqueza que temos dentro de portas”, vaticinou.