sr-inter

Desmotivação é a palavra-chave que define o jogo entre o Inter de Milheirós e o S.Romão. O pesado 5-1 teve origem no hat-trick de Maciel e no “bis” de Douglas, enquanto o golo de honra saiu dos pés de Carlos.

O início do jogo ficou logo marcado pela concentração do jogo no meio campo do S.Romão, com o visitante a chegar bastantes vezes às redes de Jorge.

A primeira finalização eficaz deu-se aos quatro minutos, por Maciel, que voltou a marcar aos vinte e cinco minutos, depois de um rápido contra-ataque que o S.Romão não soube acompanhar.

Até este momento, o S.Romão apenas conseguiu uma jogada de algum perigo. Com início num livre do lado esquerdo, a bola foi driblada por Carlos, que depois centrou para o remate de Vitó, mas passou acima do ferro.

A desconcentração e desmotivação era evidente na equipa do S.Romão, que sofreu cedo. O Inter de Milheirós continuava a mobilizar o seu ataque em direcção às redes romanenses e a equipa visitante mostrava dificuldade em travar as investidas da casa. Assim, como não há duas sem três, Maciel fez o seu hat-trick a caminho da meia hora de jogo.

Aos quarenta minutos deu-se o 4-0, quando a equipa de José Monteiro ficou a pedir falta, deixando Douglas livre para rematar à baliza.

Douglas veio do intervalo decidido a competir pelo lugar de melhor marcador da tarde com Maciel e aos sessenta minutos bisou, por entre uma defesa com grandes falhas na contenção e cobertura defensiva.

Já não bastasse a pesada diferença de golos, o S.Romão viu ainda a sua equipa ser reduzida para dez elementos, pela atribuição de vermelho directo a Miguel, aos sessenta e sete minutos.

O resultado já satisfazia os da casa, que assim baixaram o ritmo, deixando o S.Romão mais livre para criar o seu jogo. Também Jorge fez a sua parte, ao conseguir interceptar o esférico em várias ocasiões.

Aos oitenta minutos, Carlos tentou o golo, mas o esférico bateu no “L” dos ferros de Zé Paulo. Poucos minutos depois, Vitó também tentou a sua sorte, mas sem êxito.

O golo de honra acabou por chegar aos oitenta e oito minutos, com rubrica do capitão Carlos, mas de pouco valeu.

Diana Azevedo 
 

Reportagem alargada na próxima edição de “O Notícias da Trofa”, quinta-feira nas bancas.