quant
Fique ligado

Edição 661

Lutas intestinais nos partidos por José Maria Moreira da Silva

Publicado

em

A primeira finalidade da existência de um partido político é a procura deliberada da conquista e do exercício do poder, para depois de se instalar no poder passar a ser a manutenção do poder a todo o custo. O partido político que não tenha por objetivo principal a conquista, o exercício e a manutenção do poder é considerado um partido anómalo.
Obviamente que a finalidade de um partido político deveria ser a conquista do poder para servir o país e estar ao serviço das pessoas, mas a realidade mostra que não é isso que caracteriza a generalidade dos partidos políticos. Embora se intitulem como grandes defensores dos interesses das populações, os partidos primam pela ausência de valores, coerência, honra, ética e independência, e facilmente se transformam em agência de empregos.
São os dirigentes que escolhem os militantes para votarem em si próprios, de forma a sustentarem o seu poder, por isso é que muitas vezes também têm que providenciar os pagamentos das quotas de muitos militantes. Os dirigentes chegam a inflacionar o número de militantes para garantirem mais poder negocial, junto das estruturas superiores e com isso conseguirem obter mais lugares para os seus apaniguados.
Os partidos estão organizados numa pirâmide de redes de relações perigosas e nocivas e transformam-se em aparelhos inexpugnáveis, dominados por grupos que se eternizam no poder. Quando o partido chega ao poder, o aparelho partidário passa a viver no paraíso, pois terá muitos cargos para distribuir pela sua clientela.
Por tudo isto é que a ligação entre os membros de um partido político é pautada, em grande medida pelo compadrio, nepotismo, demagogia, populismo e caciquismo. Esta característica dos partidos vem do século XIX, passou sem alterações pela Primeira República e pelo Estado Novo, e não foi banida com a implantação da democracia, em 25 de abril de 1974.
A ausência de transparência faz com que os partidos, que se consideram os únicos portadores da ação coletiva e se fechem em si próprios, o que origina o afastamento dos cidadãos, que vêm nos partidos o único veículo para o debate democrático. E por consequência também se distanciam ou se afastam da própria participação democrática, pois não querem ser simples joguetes nas mãos dos que detêm o poder.
O “donos” dos partidos, os que têm o poder de distribuir os lugares à mesa do “orçamento”, aqueles que estão bem acima na estrutura partidária, com a sua falta de honestidade intelectual (e não só!) vêm nos militantes de base o seu braço armado para as lutas internas. Por isso é que é normal, principalmente em épocas eleitorais, o aparecimento de listas manipuladas, fichas falsificadas, compra de votos, chapeladas eleitorais e também algumas bofetadas.
Não é por acaso que a percentagem de cidadãos que militam nos partidos políticos seja só cerca de 1% da população portuguesa, o que é um valor muito baixo, comparado com muitos países civilizados e modernos. As lutas intestinais nos partidos prejudicam o funcionamento da democracia e convidam ao afastamento dos cidadãos dos partidos políticos, que se estão a borrifar para convivência democrática, para a cidadania e para a felicidade dos cidadãos, e nem sequer debatem internamente a temática das ideologias.
A quantidade muito reduzida de cidadãos que são militantes partidários é penalizadora, desencorajadora e um grande obstáculo à renovação e abertura à sociedade, por parte dos partidos políticos. Que é tão necessária e urgente, para a regeneração e o fortalecimento do sistema democrático!

moreira.da.silva@sapo.pt
www.moreiradasilva.pt

Continuar a ler...
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 661

Savinor com selo “Sabor do Ano”

Publicado

em

Por

“Este reconhecimento é fruto de um trabalho de equipa e é mais uma prova da qualidade dos nossos produtos”. Foi desta forma que António Isidoro, CEO do grupo Soja de Portugal, reagiu à distinção da empresa Savinor com o Selo Sabor do Ano 2018. O reconhecimento foi feito no dia 8 de fevereiro, no Time Out Market, em Lisboa, e a representar a empresa e para receber o prémio esteve Artur Tomás, diretor comercial da Savinor.
Este estatuto, criado pela Monadia – representada em Portugal pela Global Quality Iberia -, é apresentado como um prémio baseado “nas qualidades gustativas de consumidores habituais” de determinados produtos, que definem os atributos em análise no estudo de acordo com as suas exigências. Segundo fonte da empresa sediada em Covelas, no concelho da Trofa, o título foi alcançado após “comparação diretamente com os principais concorrentes do mercado, alcançando a melhor pontuação em todos os critérios de avaliação na sua categoria”.
Para António Isidoro, este prémio “comprova também o porquê” de a Savinor “ter alcançado o patamar de referência para o consumidor português”.

Continuar a ler...

Edição 661

Domingos Ferreira vence em Braga

Publicado

em

Por

O guidoense Domingos Ferreira venceu o 1.º Duatlo Cross de Braga, no domingo, 18 de fevereiro. O atleta conseguiu destacar-se na categoria Open e na classificação geral da prova, defendendo as cores da equipa amadora Ruprec Team. A competição estava inserida na prova inaugural do Campeonato Nacional de Clubes Cross. O duatlo com a distância sprint contou com um percurso de BTT com algumas zonas de subidas acentuadas.
Nascida este ano, a equipa de BTT Ruprec Team é composta por corredores de Alvarelhos, Guidões, Lousado e Joane. “Criei a equipa para conseguir que amigos pudessem ter apoio para competir a este nível, uma vez que as despesas são muitas. Contamos com patrocinadores maioritariamente da Trofa, a quem agradeço a oportunidade que nos dão de praticar a modalidade e elevar o nome do concelho, como o Domingos fez no domingo”, explicou o responsável da Ruprec Team, Daniel Santos.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);