concerto-leo-clube 

Receitas angariadas no concerto solidário interpretado pelos Meninos Cantores reverteram a favor da Associação, que em Janeiro inicia a valência do apoio domiciliário.

O Natal é uma época de solidariedade por excelência e, em tempos de crise, o espírito solidário dos trofenses parece reforçar-se para ajudar os que mais precisam. Depois de um concerto em prol da APPACDM, o Leo Clube da Trofa voltou a promover mais um concerto de Natal, cujas receitas este ano reverteram a favor da Muro de Abrigo. Apenas três actos solidários (euros) deram direito à entrada no Salão Paroquial do Muro para assistir ao concerto solidário, interpretado pelos Meninos Cantores do Município da Trofa, que rendeu cerca de 400 euros. “A Muro de Abrigo encontra-se em fase de crescimento e pretendemos dar uma ajuda na construção de uma nova sede”, adiantou ao NT Sónia Pinto, presidente do Leo Clube da Trofa.

Recordando que o clube já organizou um concerto semelhante a favor da APPACDM da Trofa no ano passado, Sónia Pinto explicou que a escolha dos Meninos Cantores é sempre uma boa aposta por “chamarem muita gente” e também uma oportunidade de realizar um concerto de Natal.

Satisfeita com a solidariedade demonstrada, Fátima Silva, presidente da Muro de Abrigo, considerou a iniciativa do Leo Clube da Trofa “muito nobre” e “uma forma de mostrar às pessoas, mesmo os de fora do concelho, que a solidariedade existe e que as pessoas pensam nas associações”. “Seja o que for, este dinheiro é muito bem vindo porque é dado do coração”, ressalvou Fátima Silva.

As receitas angariadas reverteram na totalidade a favor da Associação e já têm um destino. “Queremos construir um lar para 30 residentes, apoio domiciliário para 20 pessoas, centro de convívio para 30 e centro de dia para 10”, adiantou Fátima Silva. Para a presidente da Muro de Abrigo, “grão a grão enche a galinha o papo e esses bocadinhos dados com amor ainda melhor sabem”. E para mostrar que o projecto da Associação já está em andamento, Fátima Silva avançou que é já em Janeiro que a Associação irá iniciar a valência do apoio domiciliário a dez pessoas, numa fase inicial. “A carrinha já foi comprada e já temos uma equipa com dois funcionários para esse serviço”, adiantou Fátima Silva.

Criada há quatro anos, a Associação Muro de Abrigo é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, apresentando-se como um espaço onde os idosos desenvolvem diversas actividades, como jogar às cartas, pintar, escrever e fazer ginástica.